segunda-feira, 19 de Outubro de 2015 08:25h Atualizado em 19 de Outubro de 2015 às 08:31h. Mariana Gonçalves

Relógios devem ser adiantados em uma hora a partir da meia noite

A partir da meia noite deste domingo, a população deve adiantar o seu relógio em uma hora. O horário de verão – odiado por alguns, mas amado por outros, começa a vigorar esse final de semana

De acordo com a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), em nota enviada à imprensa, espera-se uma redução de demanda máxima de 4,0%, o que equivale a 332 MW, no Estado.
A alteração do horário irá valer até às 0h do dia 21 de fevereiro do ano que vem, totalizando 126 dias de duração.
O principal objetivo do Horário de Verão é a redução da demanda máxima durante o horário de pico de consumo do sistema elétrico, que ocorre no período das 18h às 22h. Essa medida não altera o consumo na parte da tarde, devido a outras cargas, cujo aumento é devido às altas temperaturas observadas no verão (aparelhos de ar condicionado, geladeiras, ventiladores e freezers), o que pode provocar um pico na demanda. Ainda assim, permanece o benefício do horário de verão ao evitar a ocorrência de um segundo e maior pico diário de consumo.

 

PONTOS FAVORÁVEIS

Conforme destacou a Cemig em nota, a redução na demanda provocada pelo Horário de Verão traz como benefícios o aumento da qualidade e segurança da operação do sistema elétrico, “por meio do alivio do carregamento nas linhas de transmissão, transformadores, sistemas de distribuição e unidades geradoras de energia, reduzindo o risco de ocorrência de apagões; melhores condições de controle, principalmente em situações de emergências, possibilitando acomodar eventuais saídas forçadas de linhas de transmissão; aumento da flexibilidade operativa, facilitando a programação de manutenções e permitindo maior exploração da geração hidráulica e transferência de energia entre as regiões do país; menor gasto de energia com iluminação, principalmente nas classes comercial e residencial, conseguida com o menor tempo de utilização da iluminação artificial, podendo ser obtida uma redução de até 5% no consumo mensal de energia; menores custos para a sociedade devido à geração térmica evitada e ao adiamento de obras de reforço no sistema de transmissão e distribuição de energia elétrica”.

 

NÍVEL BRASIL

Para esse ano, são esperados com o horário de verão, resultados semelhantes aos obtidos em 2014. De acordo com avaliações do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), na edição passada, a economia no sistema elétrico interligado brasileiro atingiu 4,5% de redução na demanda máxima ou 2.680 MW, o que equivale à soma do dobro da carga de Brasília e de 75% da carga de Curitiba.
Já a redução do consumo de energia, foi de 265 MW médios, correspondentes à soma do consumo de um mês de Brasília e Florianópolis. Essa redução de consumo foi incorporada ao armazenamento dos reservatórios das hidrelétricas brasileiras agregando 0,4% ao armazenamento da região Sudeste/Centro-Oeste e 1,3% ao armazenamento da região Sul.

 

TERCEIRO DOMINGO

O decreto nº 6.558 de 2008 fixou as datas do horário de verão sempre sendo a partir de 0h do terceiro domingo de outubro de cada ano. O término acontece às 0h do terceiro domingo de fevereiro do ano seguinte, quando não houver coincidência com o carnaval.
Adotaram o horário de verão as seguintes localidades: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal.

 

 

Créditos: Mariana Gonçalves

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.