quinta-feira, 11 de Dezembro de 2014 05:52h Atualizado em 11 de Dezembro de 2014 às 06:16h. Mariana Gonçalves

Revisão veicular, um cuidado que pode salvar vidas

A revisão veicular é de extrema importância, principalmente para as pessoas que estão programando passar as festividades de fim de ano fora da cidade usando o próprio veículo

Podemos comparar o veículo com o corpo humano, afinal ambos são máquinas complexas.
A diferença, a grosso modo, é que o carro é feito de partes metálicas, peças e engrenagens, enquanto nosso corpo é composto por células, tecidos e órgãos. Daí sabemos bem o que acontece quando não nos alimentamos direito, não dormimos o suficiente e levamos uma vida desregrada. Aparecem doenças e problemas de todo o tipo e o corpo parece não funcionar mais da mesma maneira. A mesma coisa acontece com o carro: se não cuidarmos diariamente e não fizermos as revisões periódicas, o tempo de vida do equipamento e seu valor diminuem muito, além de comprometer sua segurança no trânsito.
O mecânico Edney Antônio dos Santos destaca que a inspeção é simples e rápida. Durante esse procedimento, devem ser observadas as seguintes características. “Primeiramente pneus. Estes obrigatoriamente precisam estar em bom estado. Pneus carecas devem ser trocados. Em segundo lugar devem ser avaliados os faróis, limpador de parabrisas, que são as pestanas do vidro, seta, farol de neblina, luz de ré e lentes traseiras. Já na parte do motor observamos a correia dentada, óleo, filtro de combustível, velas, pastilhas de freio, lona de freio e rolamentos da roda. O alinhamento e balanceamento também não podem ficar de fora” explica.
A maioria das montadoras recomenda que seja feita uma revisão do carro a cada 10 mil quilômetros ou seis meses de uso – o que acontecer primeiro. É muito importante respeitar esse período e criar a cultura de que não se deve levar o carro no mecânico apenas quando ele apresentar defeitos. Se isso acontecer, significa que algo está errado já há algum tempo e que com certeza vem prejuízo pela frente.
Levar o veículo regularmente para a revisão traz muitos benefícios: aumenta a vida útil do equipamento, evita desvalorização, diminui as chances do carro deixar você na mão quando mais precisar, evita gastos desnecessários com reboques, consertos, peças e até mesmo com multas, pois muitos componentes do carro têm de estar obrigatoriamente em bom estado por determinação legal. “Tem pessoas que rodam 10 mil quilômetros e outras 5 mil quilômetros por mês, nesse caso as revisões podem ser a cada seis meses por exemplo. Mas, aquelas que rodam constantemente, a cada 20 mil quilômetros tem que fazer um check-up no carro” acrescenta Silva.

 

FIQUE ATENTO
Donos de motocicletas também devem fazer uma revisão veicular sempre que pensarem em viajar. No Brasil existem muitos condutores que atravessam quase todo o país com suas motos e para que a viagem possa seguir tranquila é imprescindível a revisão.
De acordo com o mecânico, a revisão não é um processo caro, financeiramente falando. “Se a pessoa fizer a revisão preventiva regularmente, aí não fica caro. Mas se ela deixa o veículo ‘acabar’ demais, com certeza a revisão vai sair mais cara”, afirma.
A manutenção do carro não fica só nas mãos dos profissionais, o proprietário do veículo também deve ter o cuidado de olhar se o automóvel está equipado com as ferramentas para a troca de pneus sem esquecer de conferir a situação do estepe, até porque imprevistos sempre podem ocorrer.
Também é importante que o condutor verifique os pneus do veículo já com as pessoas e as malas dentro do carro, para conferir se realmente está tudo certo em relação ao peso extra no carro. “Se já estiver na estrada e detectou um barulho diferente no carro, a dica é ir para o acostamento e verificar as possíveis causas. Caso haja possibilidade, prossiga o trajeto de destino, mas se o barulho continuar e por perto não tiver nenhuma oficina, então a pessoa deve recorrer ao serviço do reboque”, sugere o mecânico.

 

SEGURANÇA
Para que o passeio seja o mais tranquilo possível, recomenda-se que o condutor faça um intervalo a cada duas horas. Ultrapassar esse tempo no volante pode favorecer a distração e o cansaço. Aproveite para caminhar um pouco e alongar as pernas, pois mudar de posição ativa a circulação sanguínea e a oxigenação do cérebro.
Se prefere dirigir durante o dia, lembre-se de que o sol aumenta o cansaço e diminui a concentração.
Para aliviar o desgaste, use óculos escuros e mantenha o carro bem ventilado. Só escolha dirigir à noite se você já está acostumado. Viajar neste período tem suas vantagens e desvantagens, pois a temperatura é menor, porém, o tráfego é mais intenso. Além do que o ofuscamento provocado pelo farol dos outros carros pode desviar a atenção. Evite excesso de comida ou alimentos pesados. E lembre-se de colocar no porta-luvas do carro a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e a documentação do carro, que deve estar em dia.

 

Crédito: Mariana

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.