terça-feira, 20 de Outubro de 2015 11:37h

Santa Casa aguarda verbas do governo federal para aquisição de equipamentos

Na sexta-feira da semana passada, dia 16 de outubro, foi realizada uma reunião na Santa Casa de Caridade de Formiga entre representantes da instituição e o deputado federal Jaime Martins

Na ocasião, o parlamentar confirmou a liberação de recursos de emenda

no Orçamento Geral da União para a aquisição de equipamentos hospitalares.

A Santa Casa de Formiga foi representada na reunião pelo gerente geral, José Orlando

Fernandes Reis; pelo tesoureiro, Dirceu Bueno Fonseca, e pelos Irmãos Benfeitores Rita

Salazar e Antônio Paim. O deputado Jaime Martins esteve acompanhado de lideranças

políticas de Divinópolis e de Formiga.

Segundo o gerente José Orlando, duas emendas encontram-se empenhadas no Tesouro

Nacional para a Santa Casa. Uma é do orçamento de 2014, de R$1,4 milhão e pode ser

liberada para pagamento a qualquer momento. A segunda emenda é do orçamento de

2015, que foi empenhada este mês e também será paga até o final do ano. “Essas duas

emendas serão pagas este ano, não tem como o governo federal fugir desse

compromisso”, ressaltou.

“As duas emendas são para a aquisição de equipamentos para todos os ambientes

hospitalares e todos os setores. Nós pedimos equipamentos para aumentar leitos na UTI

(Unidade de Terapia Intensiva) Adulto, equipar o que está faltando nas salas cirúrgicas,

reestruturar a Central de Material Esterilizado, reestruturar o setor de Lavanderia e

Rouparia, equipar o Pronto Socorro da Santa Casa, dentre outros setores, completou o

gerente.

Durante a visita à Santa Casa, o deputado Jaime Martins, acompanhado da comitiva,

percorreu as instalações do hospital, se informou sobre a assistência hospitalar, se 

houve o fechamento de algum setor  durante o período de intervenção e confirmou que

isso não aconteceu. José Orlando mostrou ao parlamentar que a situação financeira da

Santa Casa aos poucos está sendo colocada em ordem e débitos que não haviam sido

pagos num prazo de cinco meses foram colocados em dia, em julho deste ano e que, em

relação aos fornecedores diminuiu um pouco a dívida. “Em primeira instância, as ações

foram realizadas com o intuito de não deixar a dívida aumentar e de não provocar

desassistência à população de Formiga e outras cidades que a Santa Casa é referência”,

enfatizou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.