sexta-feira, 19 de Fevereiro de 2016 08:42h Atualizado em 19 de Fevereiro de 2016 às 09:47h. Mariana Gonçalves

Secretária de Educação se pronuncia sobre Cmei do Terra Azul

Mais uma vez, a equipe de reportagem do Jornal Gazeta do Oeste traz em sua edição informações sobre a situação do Cmei Maria Lúcia Gregório, no bairro Terra Azul, conforme já mostrado por nós, a unidade não chegou nem a abrir seus portões nesse ano

Mais uma vez, a equipe de reportagem do Jornal Gazeta do Oeste traz em sua edição informações sobre a situação do Cmei Maria Lúcia Gregório, no bairro Terra Azul, conforme já mostrado por nós, a unidade não chegou nem a abrir seus portões nesse ano, devido ao baixo número de crianças matriculadas. Os 41 estudantes que estavam na lista de cadastro do Cmei foram encaminhados para a Escola Municipal Antonieta Fonseca no Quinta das Palmeiras. A insatisfação de algumas famílias, que não concordaram com este processo, fez com que a população do Terra Azul usasse a tribuna livre da Câmara de Vereadores  na tarde de ontem para falar do assunto e exigir apoio dos parlamentares.

 

 


A Secretária Municipal de Educação, Rosemary Lasmar, disse que, devido à situação já vir desde o ano passado, no final de 2015 houve uma conversa entre ela e o prefeito Vladimir Azevedo, mas em momento algum houve intenção da administração de encerrar as atividades do Cmei. “Tivemos uma situação que surgiu devido ao baixo número de alunos matriculados. Mas por parte da Secretaria de Educação (Semed) e do Prefeito não houve intenção de fechamento”, afirmou a secretária, destacando ainda que ontem houve uma reunião com as famílias no Antonieta Fonseca, para que a direção da escola explicasse como estava sendo o atendimento das crianças nesta unidade. “Hoje vamos ligar para as famílias da lista que uma mãe nos trouxe, onde temos nomes de crianças que querem ficar no Cmei Maria Lúcia Gregório, então, se houver crianças que queiram permanecer no Antonieta Fonseca, essas crianças vão permanecer, e se tiver alunos que queiram ficar no Cmei, elas irão para o Cmei. Será de acordo com o desejo da comunidade”, ressalta Rosemary.

 

 

PRÓXIMA SEMANA

A secretária afirmou que, se houver o desejo de pelo menos dez estudantes estarem no Cmei, então, na segunda-feira, a unidade estará aberta para receber estas crianças. “Encerramos 2015 com o Cmei funcionando, com diretor e auxiliar de serviço, mas agora temos que ver quantos alunos efetivamente estarão matriculados. Se o Cmei estiver com número suficiente e crianças para funcionar, então ele irá funcionar, é claro que, para o ano de 2016 já havia a previsão de o Cmei funcionar em um turno apenas. Porque mesmo no período de cadastro, a gente estava antevendo que teríamos uma queda no número de alunos, mas nós vamos nos organizar e se a comunidade quiser, os alunos quiserem, vamos manter o Cmei Maria Lúcia Gregório”, encerra a secretária de educação.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.