quarta-feira, 11 de Março de 2015 10:20h Atualizado em 11 de Março de 2015 às 10:25h. Jotha Lee

Secretário não confirma data para início dos voos comerciais

Aeroporto ainda não está liberado pela Agência Nacional de Aviação Civil

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Paulo César dos Santos, concedeu ontem, uma longa entrevista ao Gazeta do Oeste para abordar especificamente a demora no início dos voos comerciais ligando Divinópolis a Campinas no interior de São Paulo. Anunciada para o fim do ano passado, a ligação aérea já sofreu cinco alterações de datas e o secretário diz que até o dia 4 de maio, última previsão para início do serviço feita pela Azul Linhas Aéreas, companhia que vai operar a linha, tudo estará pronto, porém a palavra final será da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), que ainda não liberou o aeroporto.
Ontem, chegaram à Divinópolis dois funcionários da Socicam, empresa que vai gerenciar o aeroporto e fazer o controle de tráfego aéreo. De acordo com o secretário, eles já ficarão em definitivo em Divinópolis. “Esses funcionários já vão dar início às providências que cabem à Socicam para início das operações. Ainda durante essa semana, vamos receber outros técnicos da empresa”, informou.
Paulo César dos Santos justificou que as datas solicitadas pela companhia aérea para início das operações não significam o início imediato dos voos. “O fato de a Azul pedir liberação à ANAC para começar a voar a partir do dia xis, não quer dizer necessariamente que os voos começarão naquele dia. Tem se divulgado que os voos estão sendo adiados consecutivamente e hora nenhuma nós marcamos data para início do serviço. O que acontece, que é procedimento em todos os voos, a empresa pede autorização à ANAC informando que a partir da data tal, ela poderá voar. Não quer dizer que ele vai necessariamente voar a partir daquela data, até porque tanto o aeroporto quanto a empresa ficam dependendo da liberação da ANAC”, explicou.
De acordo com o secretário, a liberação do aeroporto pode ser feita através de dois procedimentos. “Ou a ANAC envia técnicos para uma vistoria ou então enviamos um relatório com todos os dados solicitando a liberação”, esclareceu. O secretário, explicou ainda, as razões que impediram o início das operações nas datas solicitadas pela Azul Linhas Aéreas. “No primeiro pedido, a ANAC não liberou. No segundo, ainda estávamos estruturando o aeroporto. Na terceira data marcada, adiou. Nesse último adiamento dei entrevista dizendo que a Azul estava dando manutenção na aeronave. Lógico! Por que vou mentir? Para criar um fato, se eu não tivesse ouvido da própria direção da Azul, por que eu inventaria uma situação dessas? É claro que a Azul não vai falar que o problema foi interno da empresa. Ela não vai falar isso”, desabafou.

 

 

COMPLICADO
Paulo César disse que a operação de uma linha comercial não é tão simples quanto possa parecer. “Nós estamos no meio de um processo complicadíssimo e vem as críticas em cima da notícia de que Divinópolis adiou o voo pela quinta vez. Ora, Divinópolis vem adiando esse voo há 15 anos. Isso já foi tentado quando não havia estrutura, gastou-se muito e não deu em nada. Divinópolis está adiando esse voo há décadas”, assegurou. “É um processo trabalhoso, que envolve vários atores. ANAC, SAC [Secretaria de Aviação Civil], Prefeitura Municipal, Empresa, o Estado e até você conciliar tudo isso não é um processo o tão simples assim”, completou.
O secretário garantiu que a parte da Prefeitura no aeroporto está concluída e essa semana chega a viatura de combate a incêndio exigida pela ANAC. Disse ainda que outra exigência feita pela Agência, é a instalação de um detector de metais, cuja instalação ficará sob responsabilidade da empresa que vai gerenciar o aeroporto. Ele disse ainda que a Azul já realizou a vistoria e aprovou as adequações realizadas pela Prefeitura.
Paulo César fez questão de enfatizar que, embora a Azul tenha marcado 4 de maio como provável data para início das operações, a previsão pode não se concretizar. “Se tem alguém que não pode marcar uma data, somos nós. Essa data de 4 de maio determinada pela Azul, repito, não é uma data para começar a operação. É uma data comunicada à ANAC a partir da qual ela tem condições de iniciar os voos” .
A Azul mantém a informação de que os voos ainda não foram iniciados pois ainda aguarda a finalização de adequações no aeroporto. A ANAC ainda não liberou a pista para pousos e decolagens de aviões comerciais, entretanto o secretário Paulo César garante que já vem respondendo positivamente à Agência “há meses”, confirmando que as exigências foram cumpridas. Paulo César garantiu que a ANAC tem todas as informações de que o aeroporto já tem condições de operar, porém ainda não concedeu a liberação. O secretário não fixa um prazo para que Agência Nacional de Aviação Civil dê o aval para o início efetivo dos voos comerciais. “Pode ser amanhã, pode ser daqui há um mês, não há como prever”, finalizou.

 

Crédito: Jotha Lee

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.