quarta-feira, 15 de Outubro de 2014 10:09h Atualizado em 15 de Outubro de 2014 às 11:10h. Mariana Gonçalves

Sem acordo salarial funcionários do Bento Menni devem parar hoje

Enquanto sindicato afirma que negociações estão emperradas, direção da unidade diz que acordo já foi acertado

Desde o início dessa semana funcionários da Clínica São Bento Menni, por meio do Sindicato Profissional dos Enfermeiros e Empregados em Hospitais, Casas de Saúde, Duchistas e Massagistas de Divinópolis (Sindeess), realizam, na porta da entidade, atos em manifestação ao acordo de reajuste salarial, que ficou tratado apenas verbalmente. Hoje está previsto para ocorrer outra manifestação em frente ao Bento Menni. Caso não seja definida oficialmente uma proposta que agrade à classe, cerca de 60 funcionários interromperão suas atividades ainda nessa quarta-feira.
A representante do Sindeess, Denisia Aparecida da Silva, conta que após várias discussões a diretoria da Clínica havia firmado um acordo de 9% de reajuste salarial, porém o combinado foi descumprido. “Quando chegou a data para o pagamento, já com o reajuste, o diretor da clínica veio até o sindicato dizer que não tinha condições de pagar, com isso os trabalhamos ficaram revoltados, até mesmo por que o reajuste já foi definido tarde, pois a data base é em Abril”, acrescenta.
Ainda de acordo com Silva, a situação está insustentável. O sindicato consegue os prazos pedidos pela direção da clínica e quando estes estão próximos de vencer, o acordo não se cumpre. “Na semana passada nós já tínhamos marcado para essa segunda e terça-feira uma assembleia com os trabalhadores e direção do Bento Menni, para expormos mais claramente a situação. Está muito difícil, porque não temos nenhuma resposta e certeza de nada”, afirma.
Até as tentativas de contato telefônico feito pela diretora do Sindeess para o administrador do Bento Menni se esgotaram. “Ele não me atende, desde segunda-feira dessa semana estou ligando e não me atende. Já enviamos um documento para a clínica informando a nossa presença lá e, se realmente não houver acordo, os trabalhadores irão parar”, explica Denisia.

 

 

 

SUS
Todo esse transtorno que repercute na folha salarial dos trabalhadores é resultado da defasagem da tabela do Sistema Único de Saúde (SUS) no Bento Menni, isso segundo o diretor da clínica, Wallace Augusto de Almeida. Inclusive, cogita-se a possibilidade de encerrar o atendimento vindo pelo SUS na unidade.
Contudo, ele alega que a situação com os funcionários já foi resolvida na tarde de ontem, em reunião interna. “Me reuni com os colaboradores e expliquei toda a situação, e passei a minha proposta. Só falta agora sentar e formalizar o acordo no papel e isso também depende do sindicato. Os colaboradores aceitaram e entenderam a situação da instituição que financeiramente não está bem”, afirmou.
Ainda de acordo com Almeida, o pagamento dos trabalhadores com o reajuste será feito de forma retroativa.

 

 

Crédito: Divulgação

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.