quarta-feira, 1 de Abril de 2015 11:08h Atualizado em 1 de Abril de 2015 às 11:13h. Lorena Silva

Sem diálogo com Executivo, moradores cobram com protesto a sinalização da Rua Jesus Jota

Via foi fechada na noite da última segunda-feira com queima de pneus

Reivindicação antiga de quem mora na Rua Jesus Jota, no bairro Interlagos, a falta de sinalização no local foi o motivo de uma manifestação que fechou a via na noite da última segunda-feira. Segundo os moradores, o protesto foi a maneira que encontraram para chamar a atenção do Executivo e cobrar uma solução para o problema de motoristas que têm abusado da velocidade no local.
Asfaltada há mais de um ano, com o objetivo de facilitar o acesso dos usuários até a UPA 24h Padre Roberto, a Rua Jesus Jota não recebeu nenhum tipo de sinalização até hoje – como redutores de velocidade, placas ou pintura estratigráfica, por exemplo. A reclamação constante dos moradores é que sem essa sinalização, os condutores não reduzem a velocidade ao passar pelo corredor, que é reto e composto por uma média de dez quarteirões.
Sem conseguir dialogar com a Prefeitura sobre o problema, os moradores acabaram organizando a manifestação de última hora, ateando fogos em pneus e bloqueando o trânsito da via. “De forma pacífica”, explica a dona de casa Gilvany Santos Miguel, que foi uma das envolvidas no protesto. Isso porque há aproximadamente 15 dias, ela sofreu um acidente de carro na Rua Jesus Jota e diz estar cansada da situação.
“Eu tirei o carro da garagem e encostei do outro lado da rua, para trancar o portão. Depois saí com ele em direção ao bairro Nações e, quando dei seta para virar à esquerda, veio uma moto em alta velocidade e eu não a enxerguei. O motociclista não conseguiu parar e bateu do lado esquerdo do meu carro. A porta teve que ser trocada, para você ter uma ideia”, conta.

INCÔMODO
Gilvany conta que depois que recebeu a pavimentação, a Rua Jesus Jota acabou se transformando em sinônimo de incômodo para os moradores. Além do problema com os motoristas que trafegam em alta velocidade, a população precisa conviver com o barulho dos veículos a qualquer horário do dia – já que o fluxo da via é intenso, por ser uma rota alternativa à Rua Bom Sucesso.

“Aqui eles já descem lá de cima ‘voando’. Só passam aqui correndo. Depois que colocaram o asfalto aqui, acabou o sossego. E tem muitas crianças que passam aqui para ir para a escola, então o movimento é muito grande. Além disso, quem dorme nos quartos da frente aqui de casa não tem mais sossego também. Os carros começam a passar correndo aqui antes mesmo das 5h”, relata.
Na região, não é só a Rua Jesus Jota que precisa de sinalização e pintura estratigráfica. Apesar da Rua Ayrton Senna, situada também no bairro Interlagos, já ter recebido a pavimentação há muitos anos, até hoje a via não possui pintura estratigráfica. Um pouco mais a frente, no bairro Santa Rosa, a Rua Padre Eustáquio – que também foi asfaltada na mesma época da Jesus Jota – também não recebeu pintura e sinalização ainda.

PREFEITURA
Em resposta, a Prefeitura esclareceu, por meio de sua Assessoria de Imprensa, que há um projeto de sinalização para os locais citados na matéria que, no entanto, dependem do recapeamento da Rua Dolores de Aguiar Rabelo. A Prefeitura também explicou que o recapeamento dessa via ainda não foi realizado porque é preciso aguardar o término do período de chuvas para dar andamento à obra.
A expectativa é que esse processo de recapeamento tenha início na segunda quinzena de abril e, posteriormente, seja possível começar o processo de sinalização das ruas Ayrton Senna, Padre Eustáquio e Jesus Jota.

 

Crédito: Lorena Silva

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.