segunda-feira, 27 de Abril de 2015 10:37h

Servidores decidem dar continuidade à mobilização contra cortes nas áreas de Educação e Saúde

Após a mobilização dos servidores da Educação ocorrida na quinta-feira em frente à Secretaria Municipal de Educação (Semed) e Prefeitura

Após a mobilização dos servidores da Educação ocorrida na quinta-feira em frente à Secretaria Municipal de Educação (Semed) e Prefeitura, contra os cortes anunciados para as áreas de Educação e Saúde, a categoria se reuniu em assembleia na sede do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis e região Centro-Oeste (Sintram) para deliberar sobre os rumos da manifestação. A principal decisão foi dar continuidade às ações contra os cortes.
Outro ponto deliberado é que será encaminhado ao Executivo o pedido de retorno imediato da "Oficina Itinerante", projeto que permite aos professores planejarem as atividades escolares, preservando a qualidade do ensino. Durante a assembleia, o presidente do Sintram, João Madeira, apresentou aos servidores o que foi discutido pelo sindicato e pelo Conselho Municipal de Educação (Comed) com o prefeito Vladimir Azevedo, na reunião da quarta-feira, para que a classe pudesse opinar sobre os próximos passos do movimento.
De acordo com o Sintram, o presidente relatou na assembleia que Vladimir reconheceu que os encaminhamentos foram equivocados por parte da Semed, mas admitiu que serão feitos cortes na secretaria para o ajuste de contas. Relativo à saúde, ainda na reunião, o prefeito descartou a possibilidade de fechamento da Policlínica.

 

AÇÕES
Entre as principais ações estabelecidas pelos servidores está a convocação de assembleia com os diversos setores para dar continuidade ao movimento e a solicitação de informações com detalhamento de gastos de todas as secretarias. Além disso, a formação de comissões e discussão do que poderá ser cortado pela administração, sem afetar as políticas públicas municipais e a exigência de concurso público para todos os níveis.
Para o vice-presidente do Sintram, Eduardo Parreira, é preciso a mobilização de todos os setores da administração. Segundo ele, foi aberto um canal de discussão com a Educação, mas todas as áreas devem estar unidas ao movimento para que não sejam prejudicadas. Os servidores também solicitaram que o Sintram continue mobilizando todas as unidades, conscientizando a categoria e a população local sobre a importância do movimento.

 

Crédito: Flávia Brandão / Sintram

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.