sábado, 10 de Novembro de 2012 05:11h Carla Mariela

Servidores municipais fazem Assembleia para discutir decreto municipal 10.851

Os Servidores Municipais que já tinham se reunido na tentativa de entender os motivos do decreto 10.851, após redução do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), principalmente, na reunião realizada no dia 30 de novembro, no Sindicato dos Trabalhadores (Sintram), onde eles se sentiram afetados depois que o decreto do Vladimir Azevedo (PSDB), foi publicado e as exonerações dos servidores comissionados confirmadas, os servidores resolveram através da convocação de uma Assembleia, ontem, na Câmara Municipal, às 15h e 30min, discutirem sobre esse assunto que os está deixando preocupados.

 


No plenário do Poder Legislativo, os servidores fizeram reivindicações e propostas de paralisação da categoria em repúdio pela edição do decreto 10.851. O diretor do Sintram, João Madeira, pediu para que os servidores que quisessem se pronunciar na Assembleia fizessem as inscrições para discursarem sobre o assunto.

 


Durante o encontro os servidores propuseram paralisação, onde todos os setores estejam lutando em conjunto. Durante os pronunciamentos foram reforçados que o decreto atingiu a área da educação, a população e a saúde. Eles querem a suspensão do decreto e também falaram sobre o ponto facultativo, para eles, essa medida não é normal.

 


A funcionária da secretaria de Desenvolvimento Social, Adriana Eva, afirmou que é totalmente contrária ao decreto. “A educação, a saúde, a assistência social, está prejudicada. A questão que eu queria colocar é, não tem dinheiro, mas e as propagandas? Para fazer propaganda pode gastar o dinheiro?.

 


Foi feita uma avaliação das consequências das medidas contidas no decreto nos diversos setores da prefeitura municipal. Na educação, por exemplo, a demissão de grande número de profissionais contratados deverá afetar drasticamente a qualidade de ensino e sobrecarregar o trabalho dos funcionários remanescentes. Já a redução das horas trabalhadas, com a adoção do ponto facultativo em um dia da semana, deverá comprometer seriamente não só o atendimento à população no Pronto Socorro e na Farmácia Municipal como também nos demais setores da prefeitura.

 


Portanto, na Assembleia, as propostas e reivindicações relacionadas ao decreto, foram realizadas. Os servidores portavam faixas, camisas, simbolizando a contrariedade e preocupação que eles estão passando depois que foram exonerados dos cargos comissionados e que afirmando que alguma solução tem que haver.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.