sábado, 30 de Junho de 2012 09:54h Marina Alves

Simpósio sobre esgotamento sanitário discute coleta

Foram citadas a razão legal, razão de saúde pública da população, razão ecológica, econômica e estética, como as principais justificativas para se realizar o trabalho de tratamento de esgoto.

Um simpósio sobre o esgotamento sanitário reuniu estudantes de engenharia civil e vários agentes e técnicos da Copasa de Divinópolis. O encontro, que teve início na última quinta-feira e seu encerramento ontem (29), mostrou vários aspectos a respeito do tema do simpósio, “O esgotamento sanitário de Divinópolis”, com palestras e debates sobre o assunto.

 


No primeiro dia de encontro, houve a abertura com a demonstração do atual sistema de esgotamento sanitário na cidade, com suas redes coletoras, interceptores, e a estação de tratamento de esgoto, em seus processos, a autodepuração, a legislação ambiental e odores, e seus possíveis controles. Após as palestras, o encontro teve seu encerramento do primeiro dia com as perguntas dos estudantes de engenharia e um debate sobre o tema.

 


No segundo dia, o simpósio teve início logo pela manhã, com a apresentação do projeto do sistema de esgotamento sanitário de Divinópolis, com as redes, os interceptores, as estações de tratamento e as tecnologias adicionais previstas, como a geração de energia, o reuso do esgoto tratado, o aproveitamento do lodo e um centro de operação do sistema, direcionando o tema para a cidade de Divinópolis, com a situação atual e a projeção dos anos posteriores, com a concretização de outros projetos da Copasa.
Após a apresentação do sistema de esgotamento sanitário, foi realizada uma palestra com a analista de programas comunitários da Copasa, Jussara Pereira Manata, falou aos alunos e agentes da Copasa sobre os aspectos sociais, e seus benefícios e impactos sobre a sociedade.

 


Jussara Manata falou sobre a importância da educação ambiental, e a importância da ação para resultar em uma maior eficiência nas ações da Copasa, como o tratamento do esgoto e o fornecimento da água.

 


Além disso, foi falado também sobre os motivos para se fazer o tratamento do esgoto, em vários aspectos. Foram citadas a razão legal, razão de saúde pública da população, razão ecológica, econômica e estética, como as principais justificativas para se realizar o trabalho de tratamento de esgoto.

 


A representante da Copasa também apresentou as ações sociais realizadas pela companhia de fornecimento de água. Projetos como o “Nova Margem e o “Programa Chuá”, que já são realizados a mais tempo e contam com grandes ações comunitárias foram citados como trabalhos de conscientização da Copasa a toda a população, sobre o uso da água e os benefícios de uma utilização consciente do bem. Ao final, houve outro debate sobre os temas apresentados, finalizando o simpósio.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.