terça-feira, 1 de Março de 2016 09:36h Mariana Gonçalves

Sind-UTE pede presença dos servidores em Assembleia Municipal

A direção do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (SindUTE-MG) - subsede de Divinópolis, realizará na quinta-feira (03) a primeira Assembleia Municipal do ano

O encontro será na Escola Estadual Padre Matias Lobato, a partir das 17h30. A coordenadora do Departamento de Políticas Sociais e Imprensa do SindUte, Maria Catarina Vale, destaca a importância dos servidores nesta assembleia. “A categoria tem que se mobilizar, é necessária a presença de todos. Não é possível continuar este quadro complexo que ainda vivemos na educação, a categoria precisa entender que só teremos conquista se ela agir junto com a gente, é uma luta necessária e uma luta de todos da educação”, afirma.
Segundo Maria Catarina, foi graças à pressão feita pelo sindicato ao Governo de Minas que a problemática do piso salarial conseguiu, enfim, sair da ‘estaca zero’ de negociação em que se encontra há anos. No entanto, o sindicato sem os servidores perde a força, por isso, se faz necessária uma maior participação da categoria. “Devido à interferência do SindUte nas negociações junto ao Estado é que foi enviado para a Assembleia Legislativa o projeto de Lei referente ao reajuste. E ainda assim, não estamos totalmente satisfeitos, porque ele não está tal qual foi acordado na Lei assinada em 2015. Outro ganho para a categoria foi para os companheiros que pertenceram à antiga LC100 – uma Lei complementar que não foi criada por este governo, mas ele é que está pagando todos os ônus deste erro”, acrescenta a sindicalista.

 

 

ASSUNTO SÉRIO

Na pauta da assembleia constam assuntos de interesse direto dos servidores, será apresentado todo um panorama da situação do piso salarial, dos trabalhadores que estavam na situação da LC100, entre outros assuntos, descritos por Maria Catarina. “Vamos falar também sobre a organização para a nossa Greve Nacional, que é importantíssima, será do dia 15 ao dia 17, temos que parar a cidade, e não é só a rede estadual, falamos em greve nacional para envolver todos os segmentos da educação. Faço aqui um chamado aos companheiros não só da rede estadual, mas municipal e rede privada também”, diz Maria Catarina.
A assembleia também visa mobilizar os trabalhadores para a luta de problemas que estão, cada dia mais, assombrando a educação, que são as ações de terceirização. “Estamos vivendo uma situação imoral no Brasil, lá em Goiás, lá, o governo está terceirizando toda a educação, e já está havendo lutas para que isso não ocorra, e em Divinópolis sabemos que já temos terceirização na rede municipal, bastante avançada. Por isso, temos que nos unir e lutar”, completa a sindicalista.
Os trabalhadores devem levar para este encontro suas sugestões e reivindicações. O sindicato não quer só falar, quer também ouvir a categoria.

 

 

 

CALENDÁRIO

Para o dia 5, está programado o Seminário das Redes Municipais Filiadas ao Sind-Ute MG. Nos dias 7 e 8, formação e luta das mulheres, com atividade estadual em Belo Horizonte. No dia 12, haverá um Seminário sobre Violência no Ambiente Escolar.
Greve Nacional no dia 15, com atividades locais, dia 16, assembleia estadual na capital mineira e dia 17, Primeiro Encontro dos Assistentes Técnicos da Educação Básica (ATBs).
Ainda no calendário de ações do Sind-Ute constam uma reunião com o Conselho de Representantes das Superintendências Regionais de Ensino e, após a reunião, grupo de trabalho.
Dia 31, será promovida a Participação do Dia Nacional de Mobilização, com Marcha à Brasília, evento promovido pelas frentes Brasil Popular e Povo sem Medo. A mobilização será contra a reforma da previdência, ajuste fiscal e cortes sociais, defesa do emprego e dos direitos dos trabalhadores, e o pedido de saída de Eduardo Cunha.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.