terça-feira, 29 de Outubro de 2013 04:40h Mariana Gonçalves

Sindicalistas debatem sobre educação com a população divinopolitana

Integrantes do Sindicato dos Trabalhadores da Educação Municipal de Divinópolis (SINTEMMD/MG) se reuniram para um debate com a população no centro da cidade. A ação teve como objetivo de relatar a população reinvindicações e apresentar a posição do sindi

Ativistas integrantes do Sindicato dos Trabalhadores da Educação Municipal do Município de Divinópolis (SINTEMMD/MG) se reuniram no quarteirão fechado da rua São Paulo para um debate  com a população. O assunto girou em torno da educação, na ocasião os sindicalistas entregaram ao povo uma carta aberta na qual estavam registradas algumas reivindicações e informações do que segundo eles está ocorrendo no município. A ação foi também uma homenagem ao dia do servidor, um incentivo para que a classe dos educadores continue correndo atrás dos seus direitos.
Para a diretora do SINTEMMD, Maria Aparecida de Oliveira, as autoridades precisam ser mais abertas e conscientes no que se refere aos planejamentos educacionais. “A nossa função aqui nas ruas é fazer um bate papo com a população, fomentar a discussão sobre o que significa a entrada de empresas na prefeitura para o serviço de educação. A educação não é mercadoria, não podemos trata-la em balcão de negócios. Temos que trazer a educação para o campo do direito, pois quando se fala em direitos aí a verba é usada de acordo com o que a população precisa” diz.
Oliveira salienta também que “se ainda tem crianças, jovens e adultos não alfabetizados a obrigação do Estado e da prefeitura é colocar professores para educar e ajudar a construir melhores cidadãos” afirma.
Recentemente o prefeito Vladimir Azevedo anunciou um pacote de reduções orçamentárias para as várias áreas na qual o serviço municipal gerencia, as ações passarão a valer no ano de 2014. Sobre os cortes financeiros previstos para a educação a ativista expõe a opinião do sindicato. “Achamos que o município tem verba, ela esta é mal gerida e isso está posto desde o ano passado quando também foi falado dos planos de contensão na prefeitura. Temos em torno de 200 mil pessoas em Divinópolis que pagam impostos, então isso tem que ser transformado em saúde em educação” conclui Oliveira.
Um ofício solicitando uma reunião com o prefeito Azevedo e a secretária municipal de Educação Eliana Cançado foi enviado para a sede da prefeitura e da Secretaria Municipal de Educação (SEMED) pelo SINTEMMD.
Em virtude do feriado do Dia do Servidor a prefeitura não funcionou, sendo assim não foi possível obter mais informações por parte da Secretaria Municipal da Educação (SEMED) e nem do prefeito.
A reportagem da Gazeta acompanhou a panfletagem feita pela equipe do sindicato no centro da cidade e aproveitou para conversar com as pessoas que passavam pelo local.
Para a empresária Marta de Freitas, “os professores tem que ser valorizados até mais que um médico, pois para chegar a ser esse profissional ele precisa passar por uma escola e um professor. Acompanho toda a situação da educação no país e acredito que essa área esta recebendo pouco investimento, os governantes precisam entender que a educação é a base de uma melhor sociedade” conta.
Já a aposentada Maria Francisca acredita que o descaso do país com a educação tem propiciado o aumento da criminalidade. “Hoje a violência está tomando conta, isso porque se houvesse mais educação, melhores condições, essas pessoas que vivem no crime estariam dentro de uma escola e aprenderiam que esse não é o caminho. Venho de uma época em que o estudo era tudo, nós não tínhamos essa facilidade para ir a uma escola, então quando tinha alguém que pudesse nos ensinar para nós era tudo de bom, dávamos ainda mais valor” finaliza.

ENCONTRO COM A POPULAÇÃO

Desde o dia 23 desse mês o Sindicato do Trabalhador Municipal de Divinópolis e Região Centro Oeste/MG (SINTRAM) realiza uma série de reuniões para discutir as ações que integram a proposta de adequação financeira apresentada pela prefeitura.
As discussões envolvem principalmente o setor da educação.
O próximo encontro está agendado para hoje, ás 14h30 na Casa dos Conselhos, avenida Getúlio Vargas 268. O tema discutido será “Coletivo de Educadores”.
Para o dia 30 a reunião irá debater sobre o atendimento dos CMEI’s. O encontro será às 16h30 também na Casa dos Conselhos.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.