sexta-feira, 2 de Novembro de 2012 05:11h Erik Ulysses

Sintram se reúne com representantes da prefeitura

A reunião dos diretores do Sintram com representantes da prefeitura teve como tema as exonerações que o Executivo promoveu e os direitos que os servidores possuem quando há essas demissões.

 


De acordo com o diretor do sindicato, João Madeira, ele e outros membros do Sintram em conjunto com representantes do governo: Kelsen Rios, David Maia e Antônio Castelo, debateram sobre as exonerações e seus motivos. “Nós colocamos a nossa preocupação em relação ao decreto, porque fomos pegos de surpresa, uma vez que não fomos avisados. O decreto mexeu com a estrutura dos servidores e da população. O que nos assusta, é que nós temos o sentimento, de que o governo, na questão dos contratados, tem o direito de admitir e demitir. O que nós não podemos permitir é que os direitos dos servidores não sejam discutidos, se demitiu é clara a demissão, mas o servidor tem direito das férias proporcionais, décimo terceiro proporcional, multa pelo rompimento do contrato”, disse.

 


Segundo Madeira, o servidor não pode ser exonerado e ficar sem um suporte. Ele ressaltou que  a máquina administrativa vinha funcionando dentro da tranquilidade e de repente um choque, uma surpresa, que foram as exonerações. “Nós planejamos as nossas vidas, vivemos dos nossos salários, o servidor tem um planejamento de vida, e de repente interrompe-se isso, imagina como fica esse cidadão”, relatou.

 


Ao finalizar a entrevista, Madeira, disse que está no papel de diretor, para defender os trabalhadores e que o setor jurídico do sindicato já foi aberto para recebê-los, pois cada servidor possivelmente passa por uma situação diferente. Ele esclareceu que já foi pedido para o Procurador Geral, Kelsen Rios, que olhassem as questões dos contratos e os direitos dos servidores. “Nós não vamos deixar os nossos servidores sem suporte. Nós tivemos uma assembleia ontem também, com os servidores e nós percebemos na fala deles, a indignação diante do governo”, afirmou.

 


Durante essa assembleia citada por João Madeira, houve vários questionamentos por parte dos servidores, sobre a atual situação da prefeitura. Eles demonstraram preocupação.
Entretanto, ao ser entrevistado, o procurador Kelsen Rios, confirmou que ele juntamente com David Maia e  Antônio Castelo, participaram dessa reunião com o sindicato dos trabalhadores, e acrescentou dizendo que os secretários Rogério Farnese, João Luiz, tinham outros compromissos e não puderam estar presentes. “O objetivo da nossa visita ao Sintram foi esclarecer ao sindicato e pedir a compreensão deles, uma vez que há muita desinformação, nós fomos então dar garantias sobre o que vai acontecer e o que não vai acontecer, para evitar que haja mal entendido. O que ficou claro foi o seguinte, a prefeitura tem um papel que ela vai cumprir e o sindicato tem um papel que ele vai cumprir. Nós fomos à reunião para mostrar aos membros do sindicato que há fundamentos, que não é um ato político, nem de desculpa de governo e fomos mostrar dados e pedir a compreensão. O sindicato assumiu o compromisso que não abrindo mão do seu papel, tentará fazer esse trabalho de convencimento com os servidores”, encerrou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.