quinta-feira, 4 de Outubro de 2012 15:19h Erik Ulysses

Superintendência Regional de Ensino apresenta o Fórum de Promoção da Paz nas Escolas

Combater a violência nas escolas, tentar solucionar problemas internamente antes de se chamar a Polícia Militar e promover a paz nas escolas. Esses são alguns dos objetivos do Fórum de Promoção da Paz Escolar, o FORPAZ, uma rede de instituições que apóiam a comunidade escolar no enfrentamento dos os problemas e dificuldades relacionadas às condições que geram a violência no ambiente escolar. Os objetivos do fórum, bem como suas ações foram apresentados na manhã de ontem durante reunião da ACASP.

 


A diretora da Superintendência Regional de Ensino, Vera Lúcia Soares, explicou que o fórum nasceu de um projeto da Assembléia Legislativa de Minas Gerais. “O FORPAZ nasceu de um projeto na Assembléia Legislativa pela necessidade realmente de trabalhar a paz nas escolas. A violência é grande, os desafios são muitos e o Estado de Minas junto à Assembléia Legislativa e órgãos do governo do Estado, secretarias de desenvolvimento, secretaria de educação criaram mecanismos para a gente trabalhar envolvendo toda a sociedade em prol da melhoria da paz nas escolas” contou ela.
O FORPAZ tem a participação de várias entidades da sociedade tais como Conselho Tutelar, Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Defensoria Pública, Ministério Público, o judiciário e forças policiais e Bombeiros. Segundo Vera Lúcia, trabalhando em rede estas instituições contribuem de forma significativa para o ambiente escolar. “O objetivo é justamente trabalhar em rede, para que a gente possa através das entidades, dos colaboradores, trazer a cultura da paz e defender a cultura da paz nas escolas estaduais e municipais de Divinópolis e dos 30 municípios que nós atendemos através da Superintendência Regional de Ensino” afirmou a diretora.

 

Um dos principais pontos destacados pelo FORPAZ é a mediação de conflitos. Por muitas vezes alguns casos que poderiam ser trabalhados internamente ou até mesmo com a ajuda de órgão como o Conselho Tutelar, se tornam casos de polícia. Dessa forma pretende-se com o fórum que as forças policiais atuem nas escolas implantando projetos de prevenção à violência, como o PROERD, e que somente em algum caso de ato infracional seja levado para tais instituições. “Um dos objetivos do FORPAZ é fazer essa mediação dos conflitos. Mostrar que os diretores, que o comitê que está sendo formado nas escolas, que nós temos recursos vários em nossa sociedade, através de entidades que já trabalham para essa melhoria, trabalha com os alunos, o trabalho com a família, tipo o CRAS e o CREAS. Entidades como defensoria pública, promotoria, juizado de menores, Polícia Militar, Polícia Civil que estão nos ajudando. Então esse é o objetivo do FORPAZ, mostrar pros nossos diretores, que antes de levar para uma polícia, muitas das vezes a gente tem como resolver internamente. Chamar o conselho Tutelar que também nos ajuda muito” afirmou Vera Lúcia.

 

A diretora da Superintendência disse que a população e a comunidade escolar de forma geral estão convidadas a ajudar no FORPAZ. Ela também garantiu que a comissão já foi montada em Divinópolis e em outras cidades que fazem parte da região coberta pela Superintendência. “Nós convidamos e formamos uma grande comissão. Então nós tivemos a representação de várias entidades e já estamos trabalhando agora com nossas ações. A comissão do FORPAZ já foi instituída em Divinópolis e nos demais municípios também estão trabalhando com comissões” finalizou Vera Lúcia.



 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.