sexta-feira, 21 de Outubro de 2011 12:18h Flaviane Oliveira

Supermercados encontram dificuldades na hora das contratações

Sobram vagas e falta mão de obra qualificada

“O setor supermercadista mineiro não conseguirá preencher as vagas temporárias para o fim do ano. Nem as que foram abertas ao longo de 2011 chegaram a ser preenchidas na totalidade”, essa é a constatação divulgada pela Associação Mineira de Supermercados (Amis). Em publicação no site da associação, o superintendente da Amis, Adilson Rodrigues avalia que para atender ao aumento da demanda no período das festas de Natal e Ano Novo, seriam necessárias 3.500 pessoas no Estado, porém a estimativa é de que somente 2000 postos sejam preenchidos a tempo. Segundo Adilson a falta de funcionários chega ao total de 4.000 trabalhadores entre temporários e efetivos.

 

 

DIVINÓPOLIS


Comerciantes explicam que encontrar profissionais tem sido tarefa difícil, pois muitos não querem trabalhar aos domingos ou consideram a remuneração muito baixa. Em contrapartida empresários explicam que não têm como aumentar os salários, porque para cada R$ 600 pagos, são gastos ao todo R$ 1.200, devido à alta carga de tributos.


Em todo o estado, as vagas mais difíceis de serem preenchidas são aquelas que exigem algum grau de experiência, como padeiro, açougueiro, confeiteiro e operadores de caixa. A situação se confirma no comércio de Divinópolis. Rosa Mônica é gerente de um dos supermercados da cidade e explica que durante o período das festas de fim de ano o efetivo tende a apresentar um aumento de 10%. Porém mais difícil que abrir vagas é encontrar mão de obra nesse período. A gerente avalia que com as comemorações de fim de ano e maior demanda de todos os setores do comércio, a dificuldade em contratar mão de obra fica ainda mais acentuada.

 

SOLUÇÃO


Para resolver o problema, o superintendente da Amis avalia que os supermercados terão que remanejar o pessoal de outros setores, inclusive do setor administrativo, além de evitar folgas e férias no final do ano. Apesar da falta de mão de obra, a Amis divulga que o setor supermercadista mineiro vai encerrar o ano de 2011 com 45 novas lojas, contra 40 inaugurações em 2010. O volume de investimentos pode chegar a R$ 220 milhões, 7% a mais do que no ano passado.

 

 

TEMPORÁRIOS


Até o final do ano, a previsão é de que centenas de profissionais temporários sejam contratados no Brasil. O número é 5% maior do que o registrado em 2010, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário (Asserttem). Minas é o segundo no Sudeste em volume de mão de obra temporária contratada, perdendo apenas para São Paulo. Apesar da alta demanda, a oferta de profissionais qualificados é baixa, fator que dificulta o processo. 


Os magazines também estão na lista dos grandes contratantes. Lojas de móveis e eletrodomésticos estão em fase de seleção de 2,6 mil profissionais temporários. As vagas são para funções diversas nas lojas e centros de distribuição. Entre as oportunidades, estão as vagas de auxiliar de escritório, inspetor de mercadoria, motorista de empilhadeira e operador de paleteira.
 

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.