quarta-feira, 20 de Novembro de 2013 07:18h Atualizado em 20 de Novembro de 2013 às 10:34h. Mariana Gonçalves

Teatro municipal irá funcionar sem o ar condicionado

O Teatro Municipal Usina Gravatá com regular frequência é usado para a realização de peças teatrais, musicais ou eventos sociais. O ambiente é como o de uma sala de cinema, fechado, e principalmente no calor, bastante quente. Em locais assim é comum o us

O Teatro Municipal Usina Gravatá com regular frequência é usado para a realização de peças teatrais, musicais ou eventos sociais. O ambiente é como o de uma sala de cinema, fechado, e principalmente no calor, bastante quente. Em locais assim é comum o uso dos aparelhos de ar condicionado, o teatro até possui estes aparelhos, porém, os mesmos se encontram sem funcionar. Fato esse que tem feito com que a população divinopolitana faça constantes queixas às autoridades. Inclusive, no início dessa semana um usuário da rede social facebook publicou o seguinte texto: “Acabei de receber uma reclamação no meu escritório a respeito do Teatro Gravatá. Uma consumidora foi assistir a uma peça no local e segundo ela a reclamação foi geral sobre o calor do ambiente. Daí um funcionário do teatro pegou o microfone e justificou em alto e bom tom que o cabeamento de cobre do ar condicionado foi furtado em meados deste ano e até hoje não foi reposto”. Ainda conforme publicação, o usuário do site teria entrado em contato com a gerência do teatro e confirmado tais informações, sendo assim o mesmo expressou que deseja uma posição a respeito do problema.

 


A equipe de reportagem da Gazeta entrou em contato com a assessoria de comunicação da prefeitura e sobre o assunto fomos informados que o fato do furto realmente é verídico, mas, o município já está ciente desta situação e inclusive o processo de licitação para a compra dos novos materiais já estão em andamento. A assessoria justificou ainda que pelo fato de estar no final do ano e de já existir outros processos de licitação na frente, este será um pouco mais demorado (fora que todo processo de compra do município gera uma grande burocracia de documentos), no entanto a expectativa é que até o início do ano que vem o teatro já esteja com os equipamentos em funcionamento.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.