quinta-feira, 26 de Julho de 2012 18:12h Flaviane Oliveira

Unidade de Saúde do Quilombo recebe reformas

A unidade que já estava há mais de 10 anos sem reformas, passou por um amplo processo de melhorias. A próxima unidade a ser entregue é a da comunidade do Buritis

As obras de reforma da Unidade de Saúde da comunidade rural do Quilombo foram entregues na tarde de ontem (25). A unidade que já estava há mais de 10 anos sem reformas, passou por um amplo processo de melhorias. A próxima unidade a ser entregue é a da comunidade do Buritis, “Estamos avaliando as mais críticas que estavam até com possibilidade do teto cair em cima dos funcionários. São as duas mais críticas  e que a mais tempo não recebiam reformas” explicou Gilmar Santos, secretário adjunto de saúde.

 


A Unidade de Saúde do Quilombo atende hoje 1840 pessoas na zona rural e a Unidade do Buritis presta atendimento para mais de 2400 mil pessoas que estão cadastradas. Nas duas unidades, os membros do programa de saúde da família se deslocam para essas comunidades rurais a cada 15 dias.

 


O secretário adjunto fala da situação da Unidade do Quilombo antes das reformas, “É um custo benefício muito grande para a população e para os funcionários. Lá tinha morcegos e era uma coisa horrorosa. Era uma coisa totalmente desumana e lá dentro, desde 2003 que foi a última reforma no Quilombo, de lá para cá não foi feita nem uma pintura naquela Unidade” conta.

 


Gilmar destacou ainda que há outras unidades que necessitam de melhorias, “Há outras unidades sim em situações complicadas, mas todo o sistema econômico do mundo está passando por crise que está desacelerando a área social, mas mesmo assim nós priorizamos essas duas unidades. São muitas unidades que precisam de reformas sim, nós entendemos isso, mas estamos priorizando aquelas unidades que estão em situação delicada” avalia.

 


De acordo com Gilmar, as obras realizadas na Unidade do Quilombo foram avaliadas em cerca de R$120 mil, valor aproximado também das obras que estão sendo realizadas no Buritis, “São Unidades antigas que não tinham recebido nenhum tipo de reforma e então aplicamos esse recurso que dará condições para que os profissionais que ali trabalham para que tenham um local salubre e digno e que respeita a função do profissional” destacou.

 

 

ATENDIMENTOS PRESTADOS

 


Por se tratar de Unidade de Saúde da Família, os atendimentos prestados não são de urgência e emergência, “Ali é uma unidade de atenção primária, é a equipe de saúde da família que passa por ali e há todo o programa de atendimento da atenção primária que é colocado à disposição da população. Faz curativos, tem atendimento odontológico, pré-natal, consultas. São atendimentos para dar suporte e prevenção” explicou o secretário adjunto.
De acordo com o Ministério da saúde, as equipes que atuam nas Unidades de Saúde como a do Quilombo são compostas, no mínimo, por um médico de família, um enfermeiro, um auxiliar de enfermagem e 6 agentes comunitários de saúde. Quando ampliada, conta ainda com: um dentista, um auxiliar de consultório dentário e um técnico em higiene dental.

 


Dessa forma, cada equipe se responsabiliza pelo acompanhamento de, no máximo, 4 mil habitantes, sendo a média recomendada de 3 mil habitantes de uma determinada área, e estas passam a ter co-responsabilidade no cuidado à saúde. A atuação das equipes é como porta de entrada dos atendimentos médicos mais complexos, uma vez que trabalha em território definido, “com uma população delimitada, sob a sua responsabilidade; por intervir sobre os fatores de risco aos quais a comunidade está exposta; por prestar assistência integral, permanente e de qualidade; por realizar atividades de educação e promoção da saúde” destaca o Ministério.
 

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.