quarta-feira, 9 de Abril de 2014 05:21h

Vacinação contra o HPV está perto de atingir a meta

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), através de equipe da Atenção Primária e de Imunização, está realizando desde o dia 10 de março a campanha de vacinação contra o vírus do papiloma humano (HPV).

A ação está sendo realizada em escolas municipais, estaduais e particulares da cidade com o objetivo de imunizar meninas de 11 a 13 anos.
Desde o início da campanha até o dia 04 de abril, foram vacinadas 3.601 adolescentes, que significa 77,54% do público alvo que é 4.923 meninas em Divinópolis. A expectativa era vacinar que pelo menos 80% deste número, mas esse número poderá ser superado.
Entre as meninas de 11 anos a meta é 1.599 e foram vacinadas até o momento 1.134 (70,92%); de 12 anos a meta é vacinar 1.647 e já foram vacinadas 1.212 (73,59%) e entre as garotas de 13 anos a meta é 1.677 e já foram vacinadas 1.255 (89,77%).
A campanha estratégica já foi realizada até o momento em 48 escolas, dentre públicas e particulares, e para nesta semana ainda mais escolas receberão as equipes de saúde para a imunização das adolescentes.
De acordo com a referência técnica em Imunização, Marcela Machado, para a conscientização e eficiência da campanha, as escolas enviam aos pais um informe sobre a campanha de vacinação com uma autorização a ser assinada. “É muito importante o envolvimento dos pais das adolescentes nessa causa, para obter resultados positivos. Os pais devem ficar atentos a data de vacinação na escola da sua filha para não perder essa oportunidade”, informa.
O foco desta campanha são as escolas e as unidades de saúde só atenderão apenas os casos que a menina não estava presente no dia da vacinação na escola. Marcela informou ainda que a vacina não possui nenhum efeito colateral significativo, apenas reações comuns locais como outras vacinas injetáveis.
 

A campanha
Foi adotada em caráter preventivo ao vírus do HPV com o objetivo de reduzir o número de casos e de morte do câncer de colo de útero, considerado o segundo tipo de câncer mais presente em mulheres brasileiras e que possui o HPV, como um dos principais fatores de risco responsáveis pelo surgimento da doença.
Serão disponibilizadas três doses, sendo a primeira em março, a segunda em setembro, e a terceira e última cinco anos depois da primeira dose. No ato da vacinação, cabe ao profissional orientar a paciente que a mesma deve comparecer até a uma unidade de saúde para receber a segunda dose da vacina.
A doença não se manifesta em adolescentes nesta faixa etária, porém segundo Marcela, estudos comprovaram que a vacina quando direcionada às meninas dessa idade é mais eficaz. “Embasados nesses estudos é que definimos o público alvo dessa estratégia, na tentativa de evitar problemas com a doença no futuro. Quanto antes oferecermos a vacina pra essas meninas, maior será a eficácia e a chance de garantir a redução dos casos”, ressalta.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.