quarta-feira, 23 de Setembro de 2015 09:57h Atualizado em 23 de Setembro de 2015 às 10:02h. Pollyanna Martins

Verba do programa Pró Transporte é liberada, mas ruas do bairro Santa Lúcia continuam sem calçamento

As ruas estão em total abandono no bairro

Três ruas do bairro Santa Lúcia que já tiveram o recurso do programa Pró Transporte liberado para serem calçadas pela Prefeitura de Divinópolis, continuam em situação de abandono. As ruas Léo Antunes Werneck, Jesuíno Ferreira da Silva e Nívia Maria da Silva estão tomadas por buracos, mato e lixo. Para ter acesso de carro às vias é preciso ter cautela, pois crateras se abriram no local devido às chuvas. Se quiserem ter a rua transitável, os próprios moradores devem pagar para jogar terra e nivelar o solo.
O Gazeta do Oeste relatou nas últimas semanas a situação das ruas dos bairros São Simão, Jardim das Oliveiras e Campina Verde, e o cenário se repete. De norte a sul, de leste a oeste, os moradores passam por dificuldades para executar uma simples tarefa, como por exemplo, tirar o carro da garagem. O mecânico, Antônio de Pádua, mora na Rua Jesuíno Ferreira da Silva há 18 anos e conta que situação não mudou. Segundo Antônio, para poder alargar a rua, que antigamente era muito estreita, ele mesmo jogou terra na via. A rua, que já está com a verba do Pró Transporte liberada para ser calçada, não recebe manutenção da Prefeitura há anos. “Aqui [rua] já era para estar calçada, a verba do Pró Transporte já está liberada, mas até hoje é isso aqui. Esse poeirão em época de seca e lama quando chove”, reclama.
A Controladoria Geral da União (CGU) divulgou em julho, um relatório de auditoria realizada no programa Pró-Transporte em Divinópolis e listou várias irregularidades detectadas pela investigação técnica. O Ministério das Cidades é o gestor do programa e o convênio prevê a execução de pavimentação e drenagem de vias nos bairros Belvedere, Candelária, Oliveiras, Santa Rosa, Padre Eustáquio, Santa Lúcia, Nova Holanda, Nova Fortaleza e Grajaú. Conforme Antônio, na Rua Léo Antunes Werneck a situação melhorou há alguns dias, pois um futuro morador do bairro está construindo uma casa e jogou terra na via para amenizar o problema. “O rapaz que está construindo na rua jogou uma terra lá e pediu para o trator passar por cima e nivelar a rua, mas se não for assim, fica cheio de buracos”, conta.
O programa está orçado em R$ 23,1 milhões, dos quais R$ 20,5 milhões financiados pela Caixa Econômica Federal (CEF), através de recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e R$ 2,6 milhões de contrapartida do município. O morador relata que o dono de algumas casas na Rua Nivia Maria da Silva já ligou várias vezes na Prefeitura para cobrar uma solução, mas sempre recebe a orientação de que deve protocolar o problema no órgão. “Nós já perdemos as contas de quantas vezes ligamos na Prefeitura pedindo alguém para vir aqui olhar pra gente essas ruas. Pedimos pra vir tirar o mato, esses lixos, mas ninguém vem, nem olham para o lado de cá”, enfatiza.

 

PREFEITURA
Em nota, a Prefeitura de Divinópolis informou que “o Pró-Transporte está com as obras paralisadas, pois passa por revisão na Usina de Projetos para reprogramação na Caixa Econômica Federal. O reestudo é necessário após a troca da construtora responsável”.

 

Créditos: Pollyanna Martins

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.