terça-feira, 1 de Setembro de 2015 11:08h Atualizado em 1 de Setembro de 2015 às 11:11h. Lorena Silva

Vias mal conservadas prejudicam transporte de pacientes à UPA

Prefeitura diz que vai averiguar a situação das ruas ainda esta semana.

Quando foi construída no bairro Ponte Funda, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Padre Roberto foi uma aposta da Prefeitura para que os pacientes e usuários pudessem ter uma melhor estrutura de atendimento do que a que era oferecida no antigo Pronto Socorro. No entanto, a má conservação das vias de acesso à unidade tem posto em xeque essa assistência.
Isso porque a maior parte das ruas próximas às ruas Bom Sucesso e Jésus Jota – as principais que levam à UPA – estão em péssimas condições. Desniveladas ou com enormes buracos, elas têm dificultado o transporte de pacientes e vítimas. Segundo o soldado Augusto Adalberto Ribeiro, o trabalho do Corpo de Bombeiros realmente é afetado por esse problema.
“Porque uma vez que as vias não têm uma boa estabilidade, tem muitos buracos, não está com uma boa conservação, acaba que o transporte fica com muitas trepidações e essas trepidações podem prejudicar o transporte de vítimas com trauma”, explica. O soldado explica que, partindo de alguns bairros do município, existem somente duas formas de acessar a UPA, o que acaba não possibilitando que o trajeto seja modificado.
“Infelizmente, partindo de alguns bairros de Divinópolis, existe somente duas formas de ir para a UPA por meios mais rápidos, que é pelo lado do Davanuze ou pelo Porto Velho, passando pelo Interlagos. Não tem como fugir”. Para amenizar a situação, ele explica que quando há vítimas de trauma, a rota é feita com velocidade reduzida. “A gente vai com a viatura bem devagar para diminuir o impacto que o paciente pode receber com as trepidações.”

 

SEM CONSERVAÇÃO
Para sair de grande parte dos bairros de Divinópolis e chegar até a UPA, os dois trajetos que são comumente usados pelos socorristas e condutores são a Avenida Orion, passando pelo bairro Mangabeiras e a Rua Goiás, passando pelo bairro Porto Velho. A segunda rota foi utilizada no resgate de Policarpo Nunes há cerca de dois meses, após ter caído no trabalho e batido o cóccix (osso da parte inferior da coluna vertebral) no chão, prejudicando a coluna.
“Não estava aguentando andar e chamei o resgate. Na hora que chegou no Porto Velho, aquele asfalto cheio de buracos, [a viatura] balançando e eu só gritando. Senti muita dor. Realmente o asfalto para lá está ruim. Eles precisam reformar”, reclama.

 

PREFEITURA
A Prefeitura, por meio da sua Assessoria de Imprensa, disse que o município considera que as principais vias de acesso à UPA – as ruas Bom Sucesso e Jésus Jota – estão em bom estado de conservação. As vias secundárias, que também dão acesso à Unidade, serão analisadas ainda esta semana pela Secretaria Municipal de Operações Urbanas.

 

Créditos: Lorena Silva

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.