quarta-feira, 10 de Junho de 2015 10:37h Pollyanna Martins

Vigilância Sanitária alerta população sobre consumo de alimentos produzidos nas ruas

Consumo de produtos produzidos sem infraestrutura pode gerar um problema de saúde pública

A Vigilância Sanitária divulgou um alerta à população sobre os riscos de consumir alimentos vendidos na rua. Segundo o setor da Prefeitura, as contaminações físicas do alimento e biológicas nem sempre podem ser identificadas a olho nu. É necessário que as pessoas tenham consciência dos riscos e façam escolhas corretas. Algumas práticas de higiene, quando adotadas pelo vendedor, fazem com que o risco de contaminação dos alimentos se reduza a um limite seguro, de acordo com Vigilância Sanitária.
Os alimentos vendidos nas ruas podem representar um problema de saúde pública, pois o risco de contaminação é muito maior. De acordo com a Vigilância Sanitária, o ideal é que os alimentos não sejam produzidos na rua, apenas vendidos. Porém, existem alimentos que representam menor risco de contaminação, como, por exemplo, pipocas, algodão doce, churros, salgados, churrasquinho, cachorro-quente ou refeição rápida fornecida e para consumo imediato, elaboradas com carnes, massas ou seus derivados, tais como pizzas, sanduíches e macarrão na chapa.
O órgão orienta ainda que consumir preparações culinárias que contenham ovos crus, como a maionese caseira, é perigoso, pois os ovos são acrescentados sem cozimento e podem estar contaminados pela bactéria conhecida como salmonela, que causa a salmonelose, uma infecção intestinal que pode levar à morte. A Vigilância também ressalta que adicionar gelo nas bebidas não é uma atitude segura, pois a água utilizada para seu preparo nem sempre é potável. Em caso de denúncias entre em contato pelo telefone (37) 3229-6866.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.