terça-feira, 10 de Março de 2015 10:32h Atualizado em 10 de Março de 2015 às 10:34h. Lorena Silva

Vila de Nazaré passa por dificuldades financeiras e pede doações da população

Atualmente, 70 crianças de 3 a 14 anos são atendidas pela instituição

Em 2012, após passar pela construção de sua sede própria, a Vila de Nazaré - instituição que trabalha com crianças e adolescentes de Divinópolis que estejam em situação de vulnerabilidade social – adquiriu uma dívida que, até hoje, não conseguiu quitar totalmente. A entidade alega que tem passado por dificuldades financeiras, que impedem que ela arque com esse compromisso e que mantenha o local e, por isso, pede auxílio
à sociedade.
O presidente da instituição, José Maria de Azevedo, conta que a dívida surgiu depois que a obra terminou, no final de 2012, e o período de chuvas trouxe um grande imprevisto. “Houve uma infiltração muito grande na laje, o que impossibilitava a gente a começar as atividades nesta casa. Com isso, nós tivemos que construir a estrutura metálica. Para isso, nós contamos com o apoio de alguns diretores e pessoas do nosso meio, que inclusive emprestaram o valor de R$ 25 mil aproximadamente, na época, para a construção dessa estrutura metálica.”
Ele explica que, naquela época, a instituição acreditava que com o serviço que seria prestado e as doações arrecadadas seriam suficientes para que a dívida fosse quitada. No entanto, com a abertura da nova sede - em um espaço mais amplo – fez com que as crianças e adolescentes atendidos passassem de 40 para 70. “Isso gerou um custo maior e devido a isso, essa nossa arrecadação se tornou insuficiente para poder pagar as dívidas referentes à construção da estrutura e manutenção da casa”, pontua.

 

 

MANUTENÇÃO
De acordo com José Maria, atualmente a entidade possui 14 funcionários, sendo que apenas seis deles são cedidos pela Prefeitura, por meio de um convênio. “Então oito funcionários estão a cargo da entidade, o que gera um custo altíssimo, porque o RH hoje em dia é o que mais pesa em qualquer instituição”. Ele relata que o custo para manter os cuidados que são prestados às crianças na Vila tem ficado além do é arrecadado, uma vez que a entidade se mantém exclusivamente por doações.

“A gente pega a criança como se fosse uma família, dando a ela todo suporte para que ela tenha atenção, carinho, que é essencial na vida dela. Se não conseguirmos as doações, a gente vai ter que repensar um novo modelo de trabalho, ou seja, receber essas crianças sem poder dar alimentação, sem dar um banho, sem poder fazer aquilo que realmente nós nos propomos”, diz o presidente.

 

TRABALHO DESENVOLVIDO
O trabalho desenvolvido pela Vila de Nazaré é dividido entre dois turnos – em contraturno escolar. No local, as crianças recebem todo o cuidado necessário, como alimentação, banho e acompanhamento à escola. Além disso, desenvolvem atividades, como recreação, artesanato, esportes e brincadeiras de roda.
“Sempre com o intuito de fortalecer vínculos, de conhecer um pouco da realidade da criança. Porque enquanto a gente brinca, enquanto fazemos alguma atividade, estamos ali procurando se informar sobre algo que acontece em casa, o que acontece com os pais. Porque sabemos que são famílias que vivem em situação de risco”, explica a coordenadora, Fernanda Ferreira.

 

DOAÇÕES
Os interessados em colaborar com a Vila de Nazaré podem entrar em contato com a instituição pelo telefone (37) 3215-5096, e-mail vilanazare@hotmail.com, pelo site www.viladenazare.org.br ou ainda pelo facebook.com/viladenazare. A instituição fica na Rua Sabará, 561, no bairro Fazenda das Chácaras.

 

 


Crédito: Lorena Silva

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.