quinta-feira, 28 de Maio de 2015 13:42h

Vladimir Azevedo se encontra com editores de veículos de comunicação

O Prefeito de Divinópolis, Vladimir Azevedo, se encontrou com os editores de veículos de comunicação na manhã desta quinta-feira (28/05), para um café e bate-papo

No encontro com os jornalistas em seu gabinete, o prefeito falou sobre a iluminação pública, desfile de 1º de Junho, doação de alimentos para o show de Chrystian & Ralf e saúde.

 

Um dos primeiro assuntos da pauta foi sobre a iluminação pública. Vladimir Azevedo voltou a destacar sobre a importância de uma empresa da cidade e com experiência assumir o serviço. “É uma empresa que conhece e tem experiência para realizar o serviço de iluminação. Já é uma empresa que prestava serviço terceirizado pela Cemig”, afirmou.

 

Outro ponto do encontro em destaque foi a participação da cavalgada no final do desfile de 1º de Junho. Vladimir Azevedo destacou que o trajeto foi modificado e não subirá a Avenida Paraná, como realizado das últimas edições. O prefeito destacou que um debate entre a Associação Comunitária para Assuntos de Segurança Pública (Acasp) e Polícia Militar decidia pelo fim da cavalgada, mas o município encontrou uma solução diminuindo o trajeto. “É um evento tradicional e precisamos manter. Oficialmente a cavalgada vai percorrer a 1º de Junho e terminar entre a Rua Minas Gerais e Rua Goiás”, destacou o prefeito, confirmando que há muitas reclamações quando a cavalgada passa pela Avenida Paraná em direção ao Parque da Divinaexpô.

 

Ainda nas festividades de aniversário dos 103 anos de Divinópolis, Vladimir Azevedo lembrou-se da importância dos divinopolitanos levarem dois quilos de alimentos não perecíveis para o show de Chrystian & Ralf em 1º de Junho no Parque da Divinaexpô. Os alimentos serão doados para entidades filantrópicas de Divinópolis.

 

Outro assunto abordado pelos jornalistas foi sobre a saúde do município. A exemplo do discurso na audiência pública, onde cobrou atuação dos governos estadual e federal, Vladimir Azevedo voltou a destacar  o esforço do município para atender a demanda da saúde.  Disse que o município precisa manter seis médicos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas mantém nove profissionais. A dificuldade, de acordo com o prefeito, é manter o custeio sem recursos do Estado e da União.

Crédito: Pablo Santos

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.