sexta-feira, 2 de Outubro de 2015 11:29h Atualizado em 2 de Outubro de 2015 às 11:47h. Pollyanna Martins

Xuxa vem a Divinópolis e inaugura mais uma Casa X

A Rainha dos baixinhos emocionou os seus fãs por onde passou

A Rainha dos Baixinhos esteve em Divinópolis, na tarde de ontem, para inaugurar mais uma Casa X, e por onde passou esbanjou simpatia e muito amor com os seus fãs. Durante a coletiva de imprensa, Xuxa contou de onde nasceu o sonho de ter uma casa de eventos voltada para festas infantis. Segundo ela tudo começou quando viajava de férias para outros países na época do aniversário da filha, Sascha, e não encontrava lugares para comemorar a data, como é feito no Brasil. “Eu comecei a fazer muitas viagens para fora e vi que, por exemplo, nos Estados Unidos eles não têm esse costume que nós temos de casa de festa, mas eles têm uns lugares, umas casas que você pode adaptar a sua festa lá. Eu viajava sempre em julho, e eu sempre buscava navios ou lugares que eu poderia levar a minha filha para fazer a sua festa de aniversário e era muito difícil”, conta.
Foi a partir da agenda de aniversário que a filha cumpria quando criança que fez a Rainha dos Baixinhos começasse a elaborar o projeto da Casa X. De acordo com Xuxa, ela levava Sascha para os aniversários e ao chegar às comemorações sempre tocava “O Parabéns da Xuxa”, foi daí a surgiu a ideia. “Eu sempre pensava ‘caramba, eu bem que podia fazer alguma coisa desse gênero’. E eu sempre ficava atrás da minha filha, ela entrava em um brinquedo e eu ficava doida porque eu não podia ver o resto do brinquedo, e eu não sabia por onde ela estava subindo. Eu falei que eu queria que fizessem algo em que o pai pudesse ficar olhando a criança subindo e descendo. Eu meio que já imaginava o que eu queria, mas nunca imaginei que eu pudesse realizar este sonho”, detalha.
Xuxa colocou então todo o seu amor de mãe no projeto. A loira conta que, se preocupava com a tranquilidade dos pais durante uma festa de aniversário. “Dá para você entender quando você vira mãe, que você quer que a sua filha, o seu filho, tipo assim, vamos eternizar aquele momento, vamos deixar tudo mágico, tanto no aniversário de um ano, dois ou três, ele vai olhar aquelas fotos e dizer ‘caramba, olha que legal o que a minha mãe fez pra mim, o que o meu pai fez’. Continuar fazendo parte da história dessas pessoas que cresceram comigo é a cereja do bolo. Eu já fiz a história toda e agora to continuando”, enfatiza.
Além da tranquilidade dos pais, a Rainha dos Baixinhos também pensou em um lugar onde as crianças pudessem ser crianças. O local quase não tem tecnologia. Os recreadores realizam brincadeiras entre os pais e as crianças durante as festas, e tudo isso também foi pensado detalhadamente. “O que a gente quer é fazer que o aniversário da criança seja um pouquinho diferente do dia-a-dia dela. Se gente fosse colocar esses brinquedos [eletrônicos], a gente não estaria acrescentando em nada no dia-a-dia deles. A brincadeira da cadeira existe com os recreadores, a brincadeira com o pai e com mãe, coisas entre família, que infelizmente a gente perde um pouco. Quanto mais a simplicidade existir, mais a gente pode dar asas à imaginação”, conclui.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.