Eduardo Print Júnior acusa Rinaldo Valério de tentar negociar votação pelo Impeachment de Galileu horas antes da votação.

Vice-prefeito foi a casa do vereador tentar negociar voto que o favoreceria.

ILÍDIO LUCIANO

Na última sexta-feira (06/09), houve a reunião extraordinária na Câmara Municipal de Divinópolis, para apurara as denúncias de possíveis irregularidades político-administrativas cometidas pelo prefeito Galileu Teixeira Machado. Os vereadores acompanharam o parecer do relator, Renato Ferreira e optaram por absolver o chefe do executivo municipal nas três acusações que ele era réu.

Entretanto, o Presidente da Comissão julgadora e líder do governo na Câmara, Eduardo Print Júnior, fez crítica pesada ao vice-prefeito de Divinópolis, Rinaldo Valério (PDT), acusando-o de tentativa de suborno e negociata, horas antes da votação final do relatório, a fim de adquirir vantagem com a situação.

 

Segundo o vereador, o vice-prefeito o procurou na noite anterior a votação, em sua residência, pedindo para que o Presidente votasse pela cassação do prefeito. Eduardo usou a Tribuna Livre, para acusar Rinaldo Valério de tentativa de suborno e negociata. Em nota oficial, ele esclarece os fatos. Segue na íntegra a nota oficial de Eduardo Print Júnior.

 

“Tenho a obrigação moral e ética de deixar claro o que aconteceu nessas horas que antecederam a votação do impeachment. Hoje pela manhã votamos as denúncias apresentadas contra o Prefeito Galileu Machado, onde foi decidido, por ampla maioria, a absolvição do prefeito em todos os casos, como apresentou o relatório final da Comissão Especial, da qual fui presidente.

Contudo, como disse em pronunciamento e à imprensa, ontem à noite aconteceu uma das coisas que mais abomino na vida, tanto pessoal quanto política. As negociatas, num puro jogo de interesse, a dez horas do início da votação, foram intensas. E pasmem: recebi uma visita surpresa do atual Vice-Prefeito Rinaldo Valério em minha residência, cercado de segundas intenções.

É triste a gente ver que tem isso e que a articulação mobilizou pessoas e assessores da Câmara, que estão mais preocupados a ganhar uma votação a título de tirar o prefeito, do que com a cidade. Tenho minhas opiniões próprias. Sou extremamente técnico em tudo que decido e voto. Nunca me corrompi e isso nunca fez ou fará parte da minha índole e história. Se o vice-prefeito estivesse realmente preocupado com a cidade, iria mais a prefeitura, onde não vai há mais de seis meses, conforme o mesmo me afirmou.

 

Vereador Eduardo Print Júnior (SD)”. Diz a nota.

© 2009-2019. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.