quinta-feira, 11 de Agosto de 2011 10:57h Luciano Eurides

Alemanha atropela a Seleção Brasileira

Se a pressão do técnico Mano Menezes por resultados já era grande, ficará praticamente insustentável, a partir desta quarta-feira. Com direito a olé da torcida no final, a Alemanha venceu o Brasil, por 3 a 2, e convenceu a todos brasileiros de que a Seleção está muito longe de um time que se julga favorito ao título para a Copa do Mundo de 2014.


A partida começou em um ritmo alucinante e, como já era de se esperar, a Alemanha conseguiu aproveitar a vantagem de ter um time melhor montado. Com um toque de bola envolvente e rápido, os donos da casa pressionaram o Brasil no início e antes dos dez minutos, já haviam criado duas boas chances com os meias Schweinsteiger, que mandou por cima do gol, e Gotze, que exigiu grande defesa de Júlio César.


A Seleção demorou, pelo menos uns 20 minutos, para conseguir entender o que se passava no jogo. Mesmo depois de conseguiu diminuir a pressão alemã, os jogadores brasileiros viram o adversário trocar passes com muita eficiência e só correram atrás da bola.


Quando os comandados de Mano Menezes conseguiram passar um pouco mais de tempo com a bola, chegaram mais próximos da meta adversária. Mesmo assim, a única boa chance verde-amarela no primeiro tempo veio aos 33 minutos, em jogada de bola parada. Daniel Alves cobrou falta e Neuer precisou espalmar. No rebote, quase Ramires marcou.


Na segunda etapa, mesmo sem alterações, a Seleção voltou melhor postada e foi superior nos primeiros minutos. Logo a um minuto, Alexandre Pato recebeu belo passe de Fernandinho e tocou por cobertura sobre Neuer. A bola caprichosamente saiu raspando a trave direita do goleiro e foi pela linha de fundo.


O pesadelo brasileiro começou, contudo, aos 14 minutos. O zagueiro Lúcio derrubou o meia Kroos dentro da área e o árbitro assinalou o pênalti. Na cobrança, o meia Schweinsteiger bateu rasteiro no canto esquerdo e Júlio César sequer saiu na foto.


O Brasil não teve tempo nem mesmo para assimilar o golpe. Os alemães continuaram atuando em um ritmo alucinante e chegaram ao segundo gol, aos 21, em uma jogada bem trabalhada. Schweinsteiger enfiou uma bela bola para o jovem Gotze, de 18 anos, que saiu nas costas da defesa, driblou Júlio César e tocou para o gol livre.


Apesar de um meio-campo acéfalo, Mano Menezes colocou Ganso em campo apenas aos 24 minutos. Coincidência ou não, dois minutos depois saiu o gol brasileiro. Daniel Alves foi derrubado por Lahm na área e o juiz deu pênalti. Na cobrança, Robinho bateu rasteiro no canto esquerdo e diminuiu.
Quem esperava um Brasil ofensivo em busca do empate, após o gol, se deparou com uma Alemanha sólida e muito consciente. A seleção germânica seguiu com maior posse de bola e soube aproveitar uma falha bisonha de André Santos para fazer o terceiro e liquidar o jogo.


O lateral fez “gracinha” dentro da grande área se atrapalhou com a bola e a perdeu para Schweinsteiger, que de forma inteligente rolou para trás. Schürrle bateu no ângulo direito de Júlio César, que apenas observou a bola entrar no fundo das redes. No final, aos 46, o Brasil ainda conseguiu achar um gol em jogada individual de Neymar, que bateu no canto direito do goleiro.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.