quinta-feira, 19 de Maio de 2016 08:42h Atualizado em 19 de Maio de 2016 às 08:45h. Luciano Eurides

América Mineiro vence o Palmeiras na Imef categoria sub 14

O América Mineiro trouxe à Divinópolis o elenco sub 14 para uma partida válida pelo Instituto Mineiro de Escolas de Futebol (Imef), frente ao Palmeiras, no estádio Pelezinho, no bairro Afonso Pena. Venceu por 4x0 e mantém os 100% de aproveitamento

A importância do jogo não está no placar e sim no fato de o time do Afonso Pena ter vivido uma experiência talvez única. O trabalho do América hoje é ter jogadores na Seleção Brasileira de base, já faz o ciclo, estes atletas que jogaram no Campo do Palmeiras começam a sentir o peso da camisa de um clube Série A do Brasileirão, de se aproximar às competições nacionais, como Copa São Paulo de Futebol Júnior. Os meninos de Divinópolis enfrentaram um dos grandes do Brasil e, por outro lado, é possível avaliar o jogo e planejar. Quem sabe ainda este ano as delegações se encontrem e já haja uma evolução.

Dentro de campo, ninguém esperava facilidade, mesmo porque esse time americano vem de quatro anos de trabalho. Logo no início do jogo, o América chegou a marcar, mas o movimento do braço deu a entender que o atleta levou a mão na bola e arrumou para a cabeçada. O lance não foi polêmico, mesmo porque com o placar final, ninguém se lembrou de reclamar. O time de Belo Horizonte atacava pelos dois lados do campo. Em uma bola arrastada para o meio, saiu a tabela envolvendo a marcação e Douglas, autor intelectual e final da jogada, com um chute forte, abriu o placar.

 

 

 

Na sequência, o Coelho adiantou a marcação, pressionava a saída de bola e, em uma roubada na intermediária, surgiu o talento. Arthur, natural de Itaúna, hoje mora no CT do América, levantou a bola, arrumando para um chute de rara beleza, um balãozinho com a coxa e soltou a perna esquerda. Forte e sem defesa para o goleiro divinopolitano.

O Palmeiras tentava chegar, mas esbarrava no goleiro Felipe, tranquilo e firme. O América voltava a usar as laterais e carregar a bola para o meio e dali chutar, assim, Douglas fez o segundo gol dele no jogo. E fechou o primeiro tempo com 3x0 para os visitantes.

 

 

 

No segundo tempo, houve um equilíbrio maior, pelo menos nos minutos iniciais. A defesa conseguiu fechar os espaços para os chutes e também chegava ao ataque, especialmente com Ivam, que voltou a dar um trabalho muito grande aos marcadores divinopolitanos. No final da partida, Alvaro recebeu no meio da área e, com dribles curtos, saiu da marcação e tocou na saída do goleiro para fazer o quarto gol e fechar o marcador.

O atleta Arthur falou do jogo e da concentração para encarar os adversários, especialmente o Atlético, e esta partida serviu para os últimos ajustes da equipe. “O jogo foi bom, uma semana de trabalho sério e estamos firmes nos treinamentos, ainda temos o jogo contra o Atlético (América venceu por 3x1) e já tivemos uma derrota na Dadazinho, estamos focados, acabando um, já pensando no outro, entramos para ganhar, como se fosse o último jogo da nossa vida e assim vão ser todos. O chute fora da área foi bem treinado”, lembrou ele, que fez o gol mais bonito do jogo.

 

 

 

O artilheiro da partida foi Douglas, com dois gols, natural de Ribeirão das Neves, são quatro anos de América, onde ele se sente feliz. “Estamos trabalhando e fazendo exatamente o que o professor pede e conseguimos colocar em prática no campo do adversário e conseguimos sair com a vitória. Continuaremos trabalhando forte, um jogo de cada vez, trabalhar com humildade, sempre”, disse Douglas.
Douglas é natural de Ribeirão das Neves, começou no Palmeirinhas, que é uma escola de futebol perto da casa dele, com nove anos seguiu para o América. Athur é de Itaúna e começou na escolinha do Sr. Edson e às vezes ainda vai à Itaúna e no local onde tudo começou.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.