quarta-feira, 14 de Novembro de 2012 12:59h Gazeta do Oeste

Aos 33 anos, Leonardo Silva conquista a Seleção: "Passa um filme na cabeça"

Aos 33 anos, um jogador já convive com o rótulo de veterano. Mas Leonardo Silva prova que a idade não é obstáculo para se destacar nos gramados. Um dos destaques do Atlético no Campeonato Brasileiro, o zagueiro agora foi coroado com a convocação para a Seleção Brasileira, visando ao jogo contra a Argentina, dia 21, na Bombonera, pelo Superclássico das Américas.

O carioca que começou a carreira no América-RJ, passou por vários clubes até ganhar projeção no Cruzeiro, já entre 2009 e 2010, relembrou as dificuldades passadas assim que recebeu a notícia da convocação:

“A gente pensa em tudo que fez. Passa um filme na cabeça, os amigos ligando, todos emocionados. Não tem como não se emocionar. A ficha demora a cair. A gente lembra de tudo que foi feito, de toda dificuldade que o atleta passa”, disse.

“A gente fica feliz ao saber que com 33 anos ainda tem muita coisa boa para dar, muito a oferecer. Veio para sinalizar um bom trabalho, as dificuldades que cada atleta passa na sua carreira, importante você não desistir, fazer bom trabalho, pois as pessoas estão vendo”, acrescentou.

Leonardo Silva estava em casa quando o técnico Mano Menezes divulgou a lista. Sem expectativas, o zagueiro dedicava o tempo livre pela manhã ao filho: “Inesperado. Meu assessor me ligou, depois meu irmão. Eu não estava assistindo nada, estava com meu filho em casa.”

Apesar do 33 anos, Leonardo Silva mantém sonhos na carreira. A convocação despertou um deles: disputar a Copa do Mundo. Porém, ele sabe que a realidade da Seleção é a renovação: “Nunca é tarde para você ter um objetivo a conquistar. Mas a gente sabe como funciona, a renovação que estão fazendo, que o setor está bem servido. Eu sou do tipo que gosta que as coisas aconteçam naturalmente.”

Contra a Argentina, serão quatro atleticanos à disposição de Mano Menezes: o zagueiro Réver, o lateral-direito Marcos Rocha, o meia-atacante Bernard, além de Leonardo Silva. “Fruto do bom trabalho que a equipe vem fazendo, do planejamento que foi colocado aqui dentro. Espero que a maioria possa estar presente sempre na Seleção”, disse.

A possibilidade de formar a zaga ao lado de Réver, tendo ainda Marcos Rocha na lateral, é garantia de entrosamento, ressalta Leonardo Silva: “Quem vai decidir é o treinador. Se isso acontecer, entrosamento não vai faltar.”

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.