segunda-feira, 1 de Outubro de 2012 12:25h Gazeta do Oeste

'Champions': Revelado pelo Galo, Túlio de Melo acredita na classificação do Lille

A derrota para o BATE Borisov em casa, por 3 a 1, não estava nos planos do Lille para a estreia da Liga dos Campeões. “Não me peça para explicar porque não sei o que aconteceu. Não foi como esperado. Grande decepção para nós e para os torcedores”, define o atacante do time francês Túlio de Melo.

O revés em pleno Lille Metropole, contudo, não desanima o atacante revelado pelo Atlético, em 2003: “Esta derrota não nos desanimou. Acho que a gente ainda pode se recuperar”, diz.

O Lille está no Grupo F, ao lado de BATE Borisov, Bayern de Munique e Valencia. Na próxima rodada, nesta terça-feira, às 15h45, o time do Norte da França vai ao Estádio Mestalla enfrentar o Valencia. “O nosso plano ainda é conquistar uma vaga às oitavas de finais da competição”, acredita o brasileiro, que atua no futebol francês há sete temporadas.

“O estilo de jogo aqui é bem dinâmico. Os jogadores estão sempre em movimento. Quando você recebe a bola já tem dois marcadores no encalço, não tem muito espaço. Jogo de muitos passes, não tem jogadores dribladores, como no Brasil”, descreve o atacante, comprado pelo Lille em 2008, por oito milhões de euros.

Para tentar surpreender na competição continental, o Lille investiu alto. Contratou o meia Marvin Martin, uma das maiores revelações da Seleção Francesa nos últimos anos, por 10 milhões de euros. Outro que chegou é o renomado atacante Salomon Kalou, ex-Chelsea. “Lille é com certeza um time de ponta na França. Tem um projeto ambicioso, principalmente, agora com um estádio recém-inaugurado”, afirma Túlio de Melo, que foi campeão francês na temporada 2010/11.

Dificuldades na Europa

O Aalborg, da Dinamarca, foi o primeiro clube de Túlio de Melo na Europa. O atacante conta os percalços que teve que encarar para se despontar na escandinava. “Cheguei a jogar com temperatua de menos 20 graus. Com 10 minutos de partida, você não sente os pés e as mãos”, descreve.

Na França também não é diferente. Ele disse ter jogado com menos 15 graus. E nem as roupas térmicas amenizam o frio sentido pelo brasileiro. “A gente usa materiais esportivos apropriados, mas eles não fazem milagres. Coloco quatro camisas, duas calças, meiões, fica igual a um robô”, brinca o jogador, que ainda sonha jogar pela Seleção Brasileira. “Quem sabe com uma boa temporada minha e do Lille eu não consigo essa oportunidade. É possível”, afirma.

Atlético

O atacante foi revelado nas categorias de base do Atlético, em 2003, mas não teve oportunidades na equipe principal. “Estava no segundo ano dos juniores e já treinava entre os profissionais, mas o Mário Sérgio chegou e não contava muito com os jogadores da base. Coincidiu com a chegada de outros jogadores mais rodados”, diz.

“Eu vi que a oportunidade ficou longe e apareceu a chance de jogar na Europa. Agarrei com unhas e dentes porque também era um dos meus sonhos”, conta.

Em um futuro próximo, Túlio planeja voltar ao futebol brasileiro, e o Atlético seria a sua primeira opção: “O dia em que eu voltar ao futebol brasileiro o Atlético será a minha prioridade. É o meu time de coração. Minha família é atleticana”, destaca.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.