segunda-feira, 1 de Outubro de 2012 10:03h Gazeta do Oeste

Após se dar folga no fim de semana, Adriano decide seu futuro

 Adriano já teve seu dia D no Flamengo - D, E, F... Nesta segunda-feira, mais uma vez, será um dia de decisão para o futuro do jogador, que se deu folga desde sexta-feira à tarde, avisou por SMS que não iria ao treino de sábado e tampouco realizou trabalho neste domingo. Adepto ferrenho da disciplina e do profissionalismo, Dorival Júnior não alimenta esperanças de contar com o atacante e mantém sua concentração no time.

Zinho faz força para tentar proteger o jogador e tende a lhe oferecer nova chance. Outros setores do clube acreditam que não há mais jeito. Mas o impasse maior é como proceder diante da adoração de grande parte da torcida pelo Imperador, mesmo com indisciplinas.

Nesta segunda-feira, o jogador terá que dar explicações para o novo sumiço, e o departamento de futebol se pronunciará sobre a nova indisciplina. Adriano, que não tinha data de estreia prevista, perdeu atividades desde sexta-feira à tarde. Dois dias e meio no total. Na sexta, o jogador ligou para Zinho e pediu liberação para resolver problemas particulares. No sábado pela manhã, porém, nem a voz do jogador foi ouvida. Por SMS, ele explicou ao diretor de futebol que não estaria presente, inclusive no domingo.

Ainda no sábado, integrantes do futebol receberam a informação de que Adriano curtira a sexta-feira numa boate da Barra da Tijuca. Dorival demonstrou contrariedade.

- Adriano não veio ao treino, vou sentar com a comissão técnica, sentar com Adriano, saber o que aconteceu, na segunda-feira a gente bate um papo. O foco é o Fla-Flu - afirmou Zinho na véspera do clássico perdido pelo Fla por 1 a 0.

 A falta dos últimos dias não foi a primeira do atacante na volta ao Flamengo. No dia 3 de setembro, sem qualquer contato com os dirigentes, Adriano não apareceu no Ninho do Urubu. Na hora em que deveria estar no Ninho do Urubu, o atacante foi visto na favela Vila Cruzeiro, onde acabou se envolvendo num choque entre sua BMW e uma moto.

No dia seguinte à falta, ao lado do diretor de futebol Zinho, o atacante se desculpou com colegas de trabalho e torcedores do Flamengo e admitiu que, se faltasse mais uma vez, teria seu contrato rescindido.

- Falei que só tinha uma chance quando cheguei. Se faltar de novo, meu contrato vai ser rompido - disse Adriano.

A tática da cúpula de futebol é separar o problema de Adriano do time, que precisa estar concentrado na reta final do Brasileirão. A presidente Patricia Amorim, que participou da rodada decisiva na negociação para o retorno do Imperador, sabe que o caso é delicado e não se posicionou sobre a questão da permanência ou não do atacante.

Adriano tem uma advertência formal feita pelo clube. Caso chegue a três, o contrato que vai até dezembro pode ser rescindido sem prejuízos para o Flamengo.

Banho de água fria em aposta da diretoria para atrair torcida

Antes das novas faltas, a expectativa era a de que o atacante passasse a treinar com o grupo nesta semana. Internamente, a diretoria do Flamengo buscava saber quando Adriano seria relacionado para um jogo, já que seria um ingrediente a mais para atrair o torcedor para apoiar o time. No dia 15 de setembro, Adriano projetou seu retorno para três semanas.

Nova recaída em bom momento

Assim como acontecera em setembro, recentemente o comportamento de Adriano vinha sendo elogiado internamente. Dorival e Zinho mantinham conversas constantes com o jogador. O novo deslize aconteceu novamente em um bom momento de aplicação vivido pelo atacante.

O jogador chegou a comentar com pessoas próximas que esperava que o clube encobrisse suas faltas no fim de semana.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.