terça-feira, 18 de Outubro de 2016 09:59h Carlos Henrique

Arbitragem, a cada dia mais, complica partidas no Brasileirão

Historicamente, a arbitragem sempre foi um problema no futebol, no mundo todo, mas em especial no Brasil

Como não se lembrar do escândalo de arbitragem de 2005, protagonizado por Edilson Pereira de Carvalho, que confessou ter manipulado jogos a favor de certos times para beneficiar apostadores? Ou de José Roberto Wright, que, em 1981, expulsou cinco jogadores do Atlético-MG na Libertadores, dando a classificação para o Flamengo? Ou de Márcio Rezende de Freitas, que assinalou pênalti em cima de Tinga, do Internacional, em confronto contra o Corinthians, que garantiu a taça para o clube do Parque São Jorge? Ou de Sandro Meira Richi, que marcou um pênalti de Gil sobre Ronaldo, que tirou o Cruzeiro da briga pela taça e acabou novamente dando mais um título para o Corinthians?
Vale ressaltar todos esses exemplos para mostrar as coisas que aconteceram nas últimas duas rodadas do Brasileirão. No clássico Fla-Flu, disputado na última quarta feira, mais uma vez Sandro Meira Richi foi personagem central. Após cruzamento na área, Henrique, zagueiro tricolor, em posição irregular, marcou o gol corretamente invalidado pelo auxiliar. Entretanto, Sandro assumiu a responsabilidade e reverteu o lance, dando gol para os tricolores. Mas, após supostamente ter ouvido instruções de fora, Sandro novamente mudou de opinião e validou a marcação de posição irregular, gerando ainda mais caos e confusão em Volta Redonda.
Outra situação semelhante aconteceu no jogo Sport x Vitória, que terminou com triunfo dos pernambucanos por 1x0. O árbitro André Luiz Freitas de Castro marcou escanteio, mas, após pressão dos baianos, assinalou pênalti a favor do Leão de Salvador. O erro não interferiu no resultado, já que a cobrança foi desperdiçada, mas mostra claramente o despreparo da arbitragem em lidar com essas situações.
O jogo Botafogo x Atlético Mineiro, disputado no Estádio Luso Brasileiro, também teve suas complicações. O jogo terminou com triunfo botafoguense, por 3x2, e o primeiro gol da equipe carioca foi marcado com domínio no braço. Em seguida, um lance a favor do Galo, com toque de mão do jogador carioca, também foi deixado de marcar.
Em resumo, a cada dia mais a arbitragem brasileira caminha para um caos completo, e isso se interfere dentro do campo, com atuações pífias e, em alguns casos, interferência direta nos resultados finais das partidas. Se a direção da CBF não fizer nada e não profissionalizar a arbitragem, mais erros e mais descaso com o futebol vão ocorrer.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.