quarta-feira, 25 de Setembro de 2013 06:26h Atualizado em 25 de Setembro de 2013 às 06:43h. Luciano Eurides

Aspirantes do Cacoco de Cima é o campeão rural 2013

A Copa Rural de Divinópolis é disputada em duas categorias, aspirante e principal. A mais tradicional é a principal com trinta anos de competição, a que mais cresce é a aspirante. Esse crescimento se dá por ser a oportunidade do jogador da roça atuar e ao

A Copa Rural de Divinópolis é disputada em duas categorias, aspirante e principal. A mais tradicional é a principal com trinta anos de competição, a que mais cresce é a aspirante. Esse crescimento se dá por ser a oportunidade do jogador da roça atuar e ao mesmo tempo revela nomes que futuramente irão brilhar em outras competições.
Sabendo da necessidade de colocar atletas em campo de poucas condições técnicas, o reinador Vaguinho apostou em mesclar a equipe. Oportunizou chance para novos jogadores e ao mesmo tempo trabalhou com a amizade dos atletas. Maranhão talvez seja o grande destaque da equipe, mas a garra e determinação de todo o grupo, e até mesmo a superação fez a diferença.
A Perobas de igual forma trabalhou experiência e juventude. Teve um campeonato impecável até a cobrança do último pênalti, exercida por Luizinho e a cobrança fora da meta fez o título ir para as mãos do Cacoco de Cima. Igualdade entre os finalistas mostra que a categoria aspirante ainda terá vida longa.
Dentro de campo as primeiras oportunidades de gols foram do Cacoco, o goleiro da Perobas fez a primeira grande defesa da partida. A resposta das perobas veio com um chute de Paulinho que acertou o poste esquerdo de David. No segundo tempo o Cacoco teve de mexer no time, saiu Guilherme e entrou Jefferson. David teve de trabalhar muito e João Batista também, mas no final prevaleceu o empate sem gols. Na decisão por penalidades Maranhão, Tonzinho e João fizeram converteram as cobranças para o Cacoco, Codorna e Paulinho para a Perobas, já Luizinho chutou para fora e o Cacoco sagrou-se campeão.
O secretário de Esportes destacou os andamentos da competição mais tradicional da cidade. “Estamos satisfeitos e sempre entendemos que a busca é pelo aprimoramento sempre e acho que o resultado final foi positivo, coroado por uma grande festa. Queremos reforçar a parte de organização e arbitragem”, falou Rômulo Duarte.
Para as comemorações a comunidade de Perobas fez até mesmo uma bandeira. Vandeir Messias conta de onde surgiu a ideia. “O time vem a três anos lutando, ganhamos o torneio raízes  do Toninho Ermida  e este ano chegamos em duas categorias na final, vice no aspirante e campeão no principal, a bandeira é uma homenagem para os atletas e que eles possam fixar na memória que há um escudo a defender, isso para o time é importante e assim os atletas são incentivados a cada vez mais buscar esse espírito esportivo, as cores foram uma homenagem as duas categorias, fizemos a partir das cores dos uniformes”, falou e relembrou a época de ouro do futebol rural quando Perobas (na época coordenada por Tagiba) foi quem parou a super equipe da Djalma Dutra, “A Perobas retoma a história e de uma forma de trabalho. Hoje trabalhamos o patrocínio, incentiva os atletas a se inscrever e assim chegar sempre as finais e esse ano diferentemente dos anteriores é uma equipe que chegou a final nas duas categorias”, falou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.