sexta-feira, 29 de Maio de 2015 12:20h

Atlético alerta para não ser surpreendido pelo Vasco

Os jogadores do Atlético projetam uma partida complicada diante do Vasco, no próximo domingo, às 16h, no Independência. O time de São Januário está pressionado por ainda não ter vencido no Brasileirão – empatou os três jogos

O goleiro Victor, um dos líderes do elenco atleticano, faz o alerta. "O Doriva vem se mostrando um técnico muito competente. Temos que estudar tudo o que o Vasco pode nos proporcionar de perigo para não sermos surpreendidos em casa", disse.
Dos três empates do Vasco, dois foram em casa (Diante de Goiás e Internacional). O outro ocorreu diante do Figueirense, em Florianópolis. "Vai ser uma semana importante para descansarmos e focarmos no Vasco. Será um jogo difícil, complicado, até porque eles vêm de uma sequência de três empates e precisam do resultado", destacou Victor.
O elenco do Atlético retomou os preparativos para o jogo de domingo na tarde da última quarta-feira. Após a derrota para o Atlético-PR, no último domingo, os jogadores treinaram na segunda-feira e folgaram na terça.
O técnico Levir Culpi está insistindo nos treinos de finalização, já que o time perdeu muitas chances diante do Furacão. Prata da casa, o atacante Carlos tem atenção especial da comissão técnica. "A fase não anda das melhores, mas estou trabalhando em cima disso, procurando errar menos, aproveitar mais as oportunidades. Até o professor mesmo já me pediu para treinar em cima das finalizações, e tenho que fazer isso", reconhece.
Após ser liberado pelo departamento médico, o treinador chegou a relacionar Guilherme para o duelo de volta das oitavas de final da Libertadores, mas o meia foi cortado no dia do jogo e, desde então, aprimora a condição física. “Meu peito rasgou por ter ido a Porto Alegre para tentar ajudar e não poder. A chateação para mim foi muito grande e agravou um pouco com a desclassificação”, declarou o armador. “Me sinto preparado desde quando voltei lá atrás. Na hora, como jogador, a gente entende que quer jogar, estar com os companheiros. Depois, analisei um pouco e vi que estão buscando o melhor para mim e para o clube”, falou Guilherme.
Segundo o jogador, que já sofreu 16 lesões desde que chegou ao Atlético, ele tem feito tudo o que está ao seu alcance para melhorar. “Aumentei a minha fé, me preocupo com a qualidade do sono. Não tem nenhum fator que seja salvador da pátria, mas me preocupo com todos, além dos aspectos técnicos, para ficar bem”, revelou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.