terça-feira, 5 de Maio de 2015 10:05h Atualizado em 5 de Maio de 2015 às 10:18h.

Atlético é campeão mineiro de 2015

Em decisão emocionante no Sul de Minas, o Atlético venceu a Caldense por 2 a 1, neste domingo, e se sagrou Campeão Mineiro de 2015

A partida foi disputada no Estádio Municipal Prefeito Dilzon Luiz de Melo, o Melão, em Varginha. O Atlético abriu o placar com Thiago Ribeiro, a Caldense empatou com Luis Eduardo e Jô fez o gol do título.
O título mineiro de 2015 foi o primeiro do Atlético sob o comando do presidente, Daniel Nepomuceno, que assumiu a Presidência do Clube em dezembro de 2014. Com a conquista, o Galo ratificou a condição de maior vencedor do Campeonato Mineiro, agora com 43 títulos. Lucas Pratto foi o artilheiro do Galo no Estadual, com seis gols, seguido por Luan, com cinco, e Carlos, que marcou três vezes.
O Alvinegro volta a campo nesta quarta-feira, na Arena Independência, para enfrentar o Internacional, de Porto Alegre, no jogo de ida das oitavas de final da Copa Bridgestone Libertadores da América.
A conquista do Campeonato Mineiro 2015 foi emocionante e, por isso, bastante comemorada pelos jogadores do Atlético. Autor do gol do título, Jô dedicou o feito à sua família. “Primeiramente, tenho que agradecer a Deus porque, sem ele, ninguém tem força. Eu tive a minha família, minha esposa, meu filho, Pedro, que está internado. Estou aqui jogando por eles, pela minha família. Vale a pena acreditar em Deus porque, uma hora, vem a recompensa”, declarou o atacante alvinegro.
Thiago Ribeiro, que marcou o primeiro gol atleticano, destacou o fato de ter feito seu primeiro gol pelo Galo justamente em uma final de campeonato. “Agradeço a Deus, acima de tudo, à minha família, namorada, amigos e, principalmente, ao presidente (Daniel Nepomuceno), aos diretores, o Maluf, comissão técnica, essa torcida maravilhosa. Ser campeão é uma sensação muito gostosa, acabei de voltar ao futebol mineiro, é o meu terceiro jogo apenas e é muito difícil fazer o primeiro gol por um clube em uma final. É uma sensação inexplicável que não vou esquecer nunca. Fico muito feliz por ter dado minha contribuição”, disse Thiago Ribeiro.
O atacante Luan, por sua vez, exaltou o poder de reação do time. “Falaram que a gente não ia chegar e esta aí, mais uma vez, provada a nossa força. Esse grupo é muito forte. A equipe está de parabéns, a torcida, que acreditou. Está provado que o Atlético é um time iluminado. Foi minha primeira assistência para o Jô e foi mais do que merecido o gol ser do Jô por tudo que ele passou. Vai ficar marcado na história do Galo para sempre. Aqui é Galo!”, afirmou Luan.
Caldense
Jogadores e comissão técnica da Caldense ficaram revoltados após a derrota por 2 a 1 para o Atlético – placar que custou a perda do Campeonato Mineiro. O alvo da fúria alviverde era o assistente Guilherme Dias Camilo, que não assinalou impedimento no segundo gol do Galo, marcado pelo centroavante Jô.
O lance aconteceu aos 32 minutos do segundo tempo e acabou definindo o título. Luan avançou pela direita e cruzou para o atacante, que estava em posição irregular no momento em que a bola saiu dos pés de seu companheiro.
O zagueiro Plínio afirmou que os jogadores da Veterana estavam atentos ao auxiliar, que supostamente seria torcedor do Atlético. “A gente já sabia dessa dificuldade do bandeira, já tinham nos avisado que a família dele é toda atleticana, que ele também é. Infelizmente aconteceu do lado dele. Fazer o que?”, lamentou.
Na opinião de Plínio, a Caldense fez uma grande decisão e encarou o Atlético de igual para igual. “É uma pena, por um gol a gente não foi campeão. E um gol impedindo ainda, irregular. Mas futebol é isso mesmo, sempre eles (árbitros) puxam para os grandes”, disse.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.