Atlético empata com o Fluminense em casa e perde oportunidade de se distanciar na tabela.

Com dois tempos completamente distintos, o Galo tropeça contra o time carioca em casa e tem em sua cola Inter e Flamengo.

15 OUT 2020

Cristiano Medeiros

 

O Atlético foi a campo pela 15a rodada do Campeonato Brasileiro contra o Fluminense no Mineirão na noite de quarta-feira (14), e viu o resultado de 1 a 1 atrapalhar a sua corrida pelo tão sonhado título. A definição mais correta para a partida é dizer que foi 50 a 50, com um tempo para cada time. O Galo agora tem 31 pontos junto ao Inter, e o Flamengo aparece logo depois com 30.

 

A partida marcava o retorno do duelo ao Gigante da Pampulha após longínquos 11 anos, e para isso, ambas as equipes se armavam de formas distintas para poder garantir os três pontos. Odair Helmann, técnico dos cariocas, apostava em uma marcação pressão e na exploração dos contra ataques rápidos. Já Sampaoli, imaginava um Atlético mais controlador, cadenciando a partida com a posse de bola e tendo as melhores opções.

 

Na primeira etapa, quem se deu melhor foi justamente o técnico visitante, que soube se portar muito bem em campo e viu o time do Fluminense inaugurar o placar com um belo gol de Caio Paulista, em chute da entrada da área aos 20 minutos. Além disso, os garotos de Oldair finalizaram mais 5 vezes, e não deram espaços para o Atlético impor o seu jogo.

 

Para o 2° tempo a postura atleticana foi bem diferente, o time soube explorar melhor as laterais e levou bem mais perigo que o rival o que acabou resultando no gol de Guilherme Arana, em mais um chute de fora da área, aos 7 minutos. O placar poderia ter sido ampliado, porém, o alvinegro acabou parando no goleiro Muriel, que vivia grande noite e foi eleito o melhor jogador da partida após fazer 7 grandes defesas.

 

O reflexo da apatia atleticana do primeiro tempo pode-se dizer que veio da mudança de posição dos jogadores em campo, principalmente a de Nathan, que atuou pela direita, local onde não rendeu como esperado e dificultou na criação de jogadas. Já na etapa final, ao voltar para o lado esquerdo, ele passou a encaixar o jogo junto com Allan, onde conseguiram municiar os atacantes, traduzindo muito bem na intensidade citada por Jorge Sampaoli na entrevista coletiva pós jogo.

 

Apesar de não levar os três pontos, o Atlético conseguiu imprimir um ritmo interessante nos últimos 45 minutos e é o que a torcida e os próprios jogadores esperam que possa se repetir no próximo jogo diante do Bahia, em Salvador, na próxima segunda-feira (19) às 20 horas, para poder voltar com uma vitória para casa. O Galo é líder momentaneamente graças ao número de vitórias e o jogo a menos que tem contra o Athletico Paranaense, mas não pode sequer pensar em relaxar neste momento, já que o Flamengo joga nesta quinta-feira e pode ultrapassá-lo. 

 

 

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.