terça-feira, 4 de Outubro de 2011 10:47h Dácio Fernandes

Basquete feminino também estará em Londres 2012

Foi em Atlanta 1996,  a última vez que o basquete brasileiro foi representado por homens e mulheres. Há cerca de quinze dias atrás o basquete masculino conquistou uma vaga olímpica histórica e nesse final de semana foi a vez das mulheres.


Com uma campanha invicta, a seleção feminina conquistou a Copa América, derrotando a Argentina por 74 a 33.


Desde Barcelona-92, o Brasil sempre esteve representado no torneio feminino nas Olimpíadas e Erika e suas companheiras escolheram o caminho mais curto, que era esse torneio. Caso contrário, seria preciso ir para a repescagem mundial. A Argentina vinha de uma vitória heróica sobre o Canadá na semifinal,mas não representaram em momento algum uma ameaça para as brasileiras. Com um início arrasador, as comandadas do técnico Ênio Vecchi sufocaram as adversárias que, num torneio preparatório, já tinham sido derrotadas pela diferença de 55 pontos.


Pela terceira vez na história o basquete brasileiro terá suas duas equipes nos Jogos Olímpicos. O objetivo tinha sido alcançado e era o momento de Ênio Vecchi pagar a promessa feita para suas pupilas. Ali mesmo, diante dos olhares da arquibancada, elas trataram de raspar o bigode do treinador.


“ Estou bastante feliz porque agora podemos fazer um planejamento melhor para a Olimpíada. Valeu todo o esforço e união delas. O time estava pronto para ser campeão mesmo. Vamos fazer vários jogos internacionais agora. Já fomos convidados pela China para fazer um quadrangular, assim como por Londres também. Vamos trazer a Érika para o Brasil para que a gente possa treinar junto desde o início. A ideia é não deixá-la ir para a WNBA. Ela entrosada com nossa equipe é fundamental” disse Hortência, diretora de seleções femininas da CBB.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.