domingo, 27 de Novembro de 2011 09:39h Dácio Fernandes

Bebidas alcoólicas nos estádios

Relator da Lei Geral da Copa quer mudanças no texto do Estatuto do Torcedor

O relator da Lei Geral da Copa, deputado Vicente Cândido (PT-SP), quer deixar explícito no Estatuto do Torcedor a autorização para venda de bebidas alcoólicas nos estádios, não só durante o Mundial de 2014, mas em definitivo após o fim do evento. A questão é um dos pontos polêmicos do texto que está em discussão no Congresso.
Essas mudanças visam adaptar o Estatuto às exigências da Fifa em relação à Copa do Mundo “ O que tiver acordo, nós vamos para a maioria que o governo tem. O que não tiver, como é o caso das bebidas alcoólicas, que tem algumas pessoas contrárias, vamos atrás do acordo” disse o relator.


A proposta de Cândido é colocar regras mais rígidas, com a permissão de venda e consumo apenas em locais reservados dos estádios, como camarotes, restaurantes e lanchonetes, mas sem a circulação com copos e garrafas pelos ambientes comuns. A responsabilidade por incidentes relacionados às bebidas seria do organizador dos jogos. Hoje, a venda é proibida pelo regimento da CBF e por algumas leis estaduais.


Caso semelhante ocorre com o uso de bandeiras nos estádios, atualmente proibido, por exemplo, em São Paulo - o relator quer aproveitar o texto em discussão para incluir no estatuto a permissão do uso. Assim como nas bebidas, a proibição do uso de bandeiras nos jogos foi adotada porque seria uma forma de reduzir a violências entre as torcidas. Além dos dois tópicos, o relator quer estender a leis nacionais outros pontos previstos na Lei Geral da Copa, como a criação de juizados especiais e alterações nas leis de proteção às marcas que evitem as ações conhecidas como marketing de emboscada e de intrusão.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.