quarta-feira, 1 de Agosto de 2012 10:23h Gazeta do Oeste

Bernardinho aponta saque como diferencial brasileiro

Bernardinho atribuiu ao saque a razão da vitória por 3 sets a 0 sobre a Rússia, nesta terça-feira, no seu 400º jogo no comando da seleção brasileira de vôlei. Os serviços forçados de Lucão, Leandro Vissotto, Murilo e Sidão, e até mesmo os saques flutuantes de Bruninho fizeram estragos na recepção russa, principalmente nos dois primeiros sets.

 

 

"É difícil falar de uma equipe que não tenha o saque como peça importante, e nós mostramos que temos condições de sacar bem. É uma arma muito importante no vôlei hoje", analisou Bernardinho, em entrevista ao SporTV. "A gente teve uma continuidade boa. E a variação do saque fez com que eles [russos] tivessem dificuldade", emendou Bruninho.

 

Ainda assim, houve espaço para cobrança. O central Sidão, autor de um ponto de saque no jogo, se mostrou insatisfeito com sua performance no fundamento. "O Bernardo sempre frisou que eu era um jogador forte em ataque e que eu precisava sacar mais. Ainda preciso pensar nos erros e me concentrar para errar menos", disse.

 

 

Depois de duas vitórias nos dois primeiros jogos, o Brasil divide a liderança do Grupo B da Olimpíada com os Estados Unidos, adversários desta quinta-feira, pela terceira rodada. "Demos o segundo passo e agora o foco tem que ser cada vez maior", afirmou Bernardinho.

 

Leandro Vissotto lembrou ainda as derrotas para Polônia e Cuba na fase final da última Liga Mundial, no início de julho, que deixaram o Brasil em sua pior colocação de sua história no campeonato: sexto lugar. "O Brasil se acostumou mal a só ganhar. Aprendemos muita coisa nesses momentos difíceis, recuperamos jogadores que estavam mal fisicamente e agora só pensamos na vitória e na medalha", disse o oposto.

 

 

 

 

 

 

 

O TEMPO

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.