sexta-feira, 15 de Fevereiro de 2013 09:15h Ascom – Ministério do Esporte

Bolsa-Atleta beneficia 4.992 esportistas nas modalidades olímpicas e paraolímpicas

O programa Bolsa-Atleta completa oito anos de existência com mais de 18 mil bolsas distribuídas aos atletas de alto rendimento até 2012. Na primeira lista de 2013, divulgada nesta sexta-feira (15.02), o benefício conta com recorde de atendidos: 4.992 auxílios em 55 modalidades que pertencem aos programas olímpico e paraolímpico. O número representa um aumento de 17,7% em relação aos 4.243 atletas, de 53 modalidades, atendidos em 2012.

Neste ano, o Ministério do Esporte concederá aos atletas duas bolsas, uma referente aos resultados conquistados em competições de 2011 e outra relativa aos resultados de 2012, o que garantirá a equivalência do repasse ao desempenho esportivo do ano imediatamente anterior. A relação de atletas divulgada hoje se refere aos resultados obtidos em 2011. Já a segunda lista do ano para modalidades olímpicas e paraolímpicas terá como base os resultados alcançados em 2012.

Pela primeira vez, o Bolsa-Atleta atende atletas de todos os 26 estados e do Distrito Federal. Em 2012, somente o Acre não contou com atletas contemplados – neste ano, são 10 representantes do estado. O Ministério do Esporte destinará R$ 72,2 milhões para beneficiar os atletas nas cinco categorias: Estudantil, de Base, Nacional, Internacional e Olímpica/Paraolímpica. Nas próximas semanas, serão abertas as inscrições para as bolsas das modalidades que não pertencem aos programas olímpico e paraolímpico.

O número de mulheres contempladas cresceu: são 1.981 agraciadas nesta nova lista, contra 1.744 em 2012. O número de atletas paraolímpicos é de 1.207 – foram 1.184 no ano passado. Os contemplados nas categorias Estudantil (211) e de Base (176) somam 387 atletas.

Desde 2012, o programa apoia atletas consagrados no esporte nacional, independentemente de receberem patrocínio. Dos 441 atletas brasileiros que representaram o país durante os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Londres, 313 (71%) estão contemplados nesta nova lista.

A relação conta com nomes como os medalhistas olímpicos Sarah Menezes (judô), Artur Zanetti (ginástica), Thiago Pereira (natação), Felipe Kitadai (judô), Rafael Silva (judô), Yane Marques (pentatlo moderno), Esquiva Falcão (boxe), Yamaguchi Falcão (boxe), Adriana Araújo (boxe) e Bruno Prada (vela).

A lista completa dos atletas contemplados pelo programa foi publicada na edição desta sexta-feira (15.02) do Diário Oficial da União – www.in.gov.br – e pode ser conferida na página do Ministério do Esporte na Internet: www.esporte.gov.br.

 

Patrocínio individual


Em vigência desde 2005, o Bolsa-Atleta é o maior programa de patrocínio individual de atletas do mundo. O público-alvo são esportistas de alto rendimento que obtêm bons resultados nas competições nacionais e internacionais. Desde 2010, o Ministério prioriza a concessão das bolsas para atletas de esportes dos programas olímpico e paraolímpico, aos quais são destinados 85% dos recursos orçamentários.

Modalidades que não fazem parte dos Jogos Olímpicos ou Paraolímpicos são atendidas subsidiariamente, na proporção máxima de 15% dos recursos destinados anualmente.

O Bolsa-Atleta atende esportistas que tenham obtido bons resultados, independentemente de sua condição econômica. O programa é democrático porque, para ser contemplado, o atleta necessita apenas obter bom desempenho (primeiro, segundo ou terceiro lugar) nas competições qualificatórias indicadas pelas respectivas confederações de cada esporte, sem necessidade de intermediários. Para ter inscrição assegurada, basta cumprir os requisitos legais para cada categoria do benefício, manter-se em treinamento e competição e alcançar bons resultados.

O programa visa garantir condições mínimas para que os atletas se dediquem, com exclusividade e tranquilidade, ao treinamento esportivo para desenvolver seu rendimento e participar de competições locais, sul-americanas, pan-americanas, mundiais, olímpicas e paraolímpicas.

O Ministério do Esporte trabalha para que cada vez mais o Bolsa-Atleta esteja alinhado com a meta de tornar o Brasil uma potência olímpica a partir dos Jogos Rio 2016.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.