quarta-feira, 22 de Junho de 2011 09:59h Luciano Eurides

Branquinhos apresenta recurso e pode parar Copa Rural

A equipe da Comunidade Rural de Branquinhos entrou com um recurso junto à Secretaria de Esportes e Lazer de Divinópolis (SEL) e requer os pontos do jogo de volta da semifinal da Copa Rural ou mesmo a terceira partida, contando com a jurisprudência do julgamento de Costas e Quilombo, na fase anterior.


O representante da equipe de Branquinhos, Anderson Eustáquio da Cunha, indica uma irregularidade por parte do time do Córrego Falso. O time aspirante não compareceu ao jogo na comunidade no Inhame para a segunda partida da semifinal e de acordo com a interpretação de Branquinhos o time do Córrego Falso (aspirante) foi eliminado do campeonato. Segundo o regulamento o não comparecimento da equipe no jogo induz à eliminação de toda a equipe do campeonato segundo artigo 42, “A equipe que deixar de comparecer a campo para o seu jogo sem motivo comprovadamente justificável será eliminada da competição e todos os resultados de seus jogos passam a ter o placar de 3 x 0 para a equipe adversária.”dita o regulamento.


No entender do recurso a equipe é formada pelos jogadores, se a equipe é eliminada todos os jogadores são eliminados e ficam proibidos de jogar pela categoria principal. “A equipe do Córrego Falso agiu de má fé não colocando o time em campo no jogo pela categoria aspirante, colocando assim todos à disposição da categoria principal, os jogadores da equipe aspirante foram eliminados por não comparecimento e não podiam assim entrar em campo para o jogo principal”, alegou e citou o fato de Costas e Quilombo. “Julguem a equipe do Córrego Falso ocasionando na eliminação ou em uma nova partida, como ocorreu entre as equipes dos Costas e Quilombo, onde o time aspirante da comunidade dos Costas jogou com um jogador irregular e foi remarcado a partida para compensar o erro. Por isso tem que haver no mínimo uma nova partida na categoria principal ente Branquinhos e Córrego Falso”, disse.


A equipe fez questão de deixar claro não estar intencionada a prejudicar o andamento da competição, mas não descarta a possibilidade de uma ação mais enérgica em se tratando de fatos repetitivos. “Não tenho a intenção de atrapalhar o campeonato, mas sim o direito de usar o regulamento ao meu favor, pois fomos prejudicado com os erros do adversário.Assim como fiz investimentos para participar do campeonato eu vou fazer o que for necessário para não sair prejudicado”, avisou.

 

Neste ano o Quilombo se sentiu prejudicado, não havendo punição com relação ao aspirante de Costas e ainda o Choro teve um atleta eliminado da competição, sem motivo aparente para punição tão forte.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.