sábado, 11 de Agosto de 2012 09:02h Gazeta do Oeste

Brasil pega México por ouro inédito e estabilidade de Mano

 A Seleção que tem em Neymar seu maior expoente tentará alcançar, a partir das 11 horas (de Brasília) deste sábado, algo que a geração de Bebeto, Romário e Dunga, campeões mundiais e vice olímpicos, não conseguiu. Pelo inédito ouro, o Brasil enfrenta o México na decisão dos Jogos de Londres, em Wembley.

 

 

A primeira medalha dourada da história do futebol pentacampeão do mundo também serviria para oferecer estabilidade ao técnico Mano Menezes rumo á Copa do Mundo de 2014. Visto com desconfiança até por José Maria Marin, sucessor de Ricardo Teixeira na presidência da CBF, ele iniciou os Jogos de Londres com o emprego em risco.

 

“Embora tenha se falado muito nisso, não coloco as questões pessoas acima da Seleção Brasileira. Não entrei mais ou menos pressionado. Sempre me cobrei como comandante de uma das principais seleções do mundo e tenho que apresentar resultados, mas não foi diferente do que seria em qualquer outro momento”, minimizou.

 

 

Ainda que o treinador procure não tocar no assunto de maneira direta, a resistência a seu trabalho na Seleção, marcado pelo fiasco na Copa América de 2011, era grande antes do ciclo de quatro amistosos preparatórios para os Jogos, e uma medalha de ouro é tudo que ele precisa para seguir no cargo.

 

“Não cheguei de paraquedas até a Seleção. A cobrança por resultados e as críticas, muitas vezes sem conhecimento do que é feito, são comuns na vida dos treinadores. O futebol tem muitos boatos, mas no final ficam as verdades. Perder ou ganhar faz parte e, acima de tudo, sempre tive a convicção de estar fazendo o certo”, declarou.

 

 

A possível conquista do inédito ouro olímpico em Londres também ofereceria aos protagonistas em campo maior confiança em busca de uma vaga no Mundial de 2014, diz Mano Menezes. O técnico ainda disse ver o eventual título como “primeiro passo” para recuperar a hegemonia perdida para a Espanha nos últimos anos.

 

“Esse grupo já mostrou capacidade de ser vencedor e se classificar para a final prova isso”, declarou Mano ao falar sobre o reflexo do possível ouro olímpico na preparação para a Copa do Mundo de 2014. “Aumentaria muito a confiança para que todos continuassem apostando nesses jogadores”, completou.

 

 

 

Na véspera do confronto com o México, o técnico adotou o mistério e preferiu não confirmar a escalação de sua equipe. No entanto, a tendência é que o time utilizado para vencer a Coreia do Sul na semifinal seja mantido, com Alex Sandro no meio-campo e Hulk no banco de reservas.

 

Para Mano Menezes, o México, que nunca havia se classificado para uma final olímpica, foi a seleção que se preparou melhor para os Jogos de Londres na medida em que usou torneios como a Copa América-2011 e o Pan-americano-2011 para testar a equipe sub-23.

 

 

BRASIL ACUMULA DOIS VICES

 

Derrotada pela França na final de Los Angeles-1984 e pela União Soviética na decisão de Seul-1988, a Seleção tentará conquistar o inédito ouro pela terceira vez em Londres. O time nacional ainda ficou com o bronze em Atlanta-1996 e Pequim-2008.

 

 

“Vamos aproveitar os ensinamento das outras decisões. Respeitamos o México, mas temos capacidade de vencer. Acreditamos no nosso potencial e queremos tentar fazer uma grande decisão”, disse Mano.

 

Campeões mundiais em 1994, Taffarel, Jorginho, Mazinho, Bebeto, Romário e Dunga perderam finais olímpicas. No torneio, o Brasil acumula eliminações vexatórias contra Nigéria (semi de Atlanta-1996) e Camarões (quartas de Sydney-2000).

 

 

A Seleção leva larga vantagem no confronto direto com o adversário da América do Norte (20 vitórias, seis empates e nove derrotas), mas os rivais vêm crescendo nos últimos anos. No amistoso mais recente, disputado em junho e usado como parâmetro por Mano, o México, com sua equipe principal, ganhou por 2 a 0 e anulou Neymar.

 

“Certamente, essa final não é o jogo mais importante para o futebol brasileiro, mas é para esse grupo de jogadores que está aqui. O que diferencia os vencedores é ser capaz de repetir, no último dia, o que foi feito para chegar até lá. Contra o México, quem for mais competente vai sair com a medalha de ouro”, definiu Mano.

 

 

Em sua primeira decisão de Jogos Olímpicos, o time da América do Norte terá o desfalque do habilidoso Giovani dos Santos, que sofreu uma lesão muscular durante o confronto com o Japão, pela semifinal. Sem o meia, o técnico Luis Fernando Tena espera que Marco Fabián seja o principal articulador das jogadas ofensivas.

 


FICHA TÉCNICA

 

 

BRASIL x MÉXICO

 

BRASIL: Gabriel; Rafael, Thiago Silva, Juan e Marcelo; Sandro, Rômulo, Alex Sandro e Oscar; Neymar e Leandro Damião. Técnico: Mano Menezes

 

 

MÉXICO: Corona; Israel Jiménez, Mier, Reyes e Chávez; Enríquez e Salcido; Aquino, Fabián e Raul Jiménez; Peralta. Técnico: Luis Fernando Tena

 

Local: Estádio de Wembley, em Londres (Inglaterra)

Data: 11 de agosto de 2012, sábado

Horário: 11 horas (de Brasília)

Árbitro: Mark Clattenburg (Inglaterra)
Assistentes: Stephen Child e Simon Beck (ambos ingleses)

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.