terça-feira, 3 de Setembro de 2013 11:13h Atualizado em 3 de Setembro de 2013 às 11:16h.

Brasil reafirma compromissos de legado para os Jogos Olímpicos Rio 2016

A menos de três anos para a realização dos Jogos Olímpicos e dos Jogos Paraolímpicos Rio 2016, a Comissão de Coordenação do Comitê Olímpico Internacional (COI), que encerrou seu quinto encontro na cidade do Rio nesta segunda-feira (02/09), recebeu a garan

A menos de três anos para a realização dos Jogos Olímpicos e dos Jogos Paraolímpicos Rio 2016, a Comissão de Coordenação do Comitê Olímpico Internacional (COI), que encerrou seu quinto encontro na cidade do Rio nesta segunda-feira (02/09), recebeu a garantia de representantes dos governos federal, estadual e municipal de que não haverá atraso na entrega de instalações e serviços propostos para os dois eventos esportivos.

 

Os representantes do COI ouviram os relatos de progresso das ações e alertaram para o respeito aos prazos de entrega acordados.A presidente da comissão, Nawal El Moutawakel, lembrou que “estamos a 152 quintas-feiras do início dos Jogos, e o relógio não para. Tivemos dois dias intensos e produtivos, vimos muitos progressos e percebemos que o nível de detalhamento dos planos e projetos está cada vez mais refinado”.

 

Ela também ressaltou que “ficamos muito impressionados com o compromisso da organização e principalmente com o desenvolvimento de uma série de legados”. Sobre a relação dos Jogos com os legados para a sociedade brasileira, ela disse que “os Jogos podem inspirar a ampliação da prática de esporte e ajudar na melhoria da educação e da saúde das pessoas”.

 

Em conjunto com o Comitê Organizador dos Jogos Rio 2016, os representantes do poder público apresentaram à comissão do COI o andamento do cronograma de ações, atualizando as informações sobre cada tema. Também tranquilizaram o comitê internacional ao mostrar, a partir dos relatórios, normalidade no ritmo de trabalho.“O espírito é de cooperação e empenho. Nada abalou a convicção de trabalhar com afinco para que esses Jogos sejam um sucesso. Todas as medidas necessárias estão sendo adotadas e temos abertura para acolher sugestões e críticas para o aperfeiçoamento de nosso trabalho”, afirmou o ministro do Esporte, Aldo Rebelo.

 

O secretário executivo, Luís Fernandes, completou: “Nossa visão é convergente e integra os três níveis de governo na visão de legado dos Jogos Olímpicos como possibilidade de desenvolvimento regional e nacional”, disse, antes de apresentar o relatório de progresso do trabalho.

 

Ao demonstrar os legados que a organização dos Jogos pretende para as cidades-sedes (além do Rio, as quatro cidades que vão receber jogos de futebol: Salvador, Brasília, São Paulo e Belo Horizonte), Luís Fernandes citou exemplos de políticas públicas estruturantes em cada área. Entre as ações estão desenvolvimento urbano, ampliação e renovação de aeroportos, revitalização de portos, aumento da quantidade e qualidade das acomodações, fortalecimento das estruturas de comando e controle unificados de segurança pública e as oportunidades de negócios associados ao esporte e particularmente aos preparativos para os Jogos.

 

Ele ressaltou o fomento ao esporte educacional, como os programas Segundo Tempo, Mais Educação, Forças no Esporte e Atleta na Escola, todos do governo federal, e iniciativas de incremento da infraestrutura esportiva, como a construção de 6 mil quadras em escolas públicas brasileiras e a cobertura de outras 4 mil já existentes. E também lembrou a Rede Nacional de Treinamento, constituída por instalações esportivas espalhadas pelo país que terão como referência as estruturas do futuro Centro Olímpico de Treinamento (COT) da Barra da Tijuca e de Deodoro, no Rio de Janeiro.

 

 

Transparência

 

O prefeito Eduardo Paes disse que os “governos reafirmam seus compromissos e vão entregar o que foi acordado”. Ao responder perguntas sobre o momento político vivido pelo país em virtude das recentes manifestações populares, ele garantiu que os organizadores estão “ainda mais atentos com os gastos, mais preocupados em evitar elefantes brancos, mais empenhados na transparência e principalmente mais focados nos legados que os Jogos vão deixar para os brasileiros”.

 

Ele mostrou exemplos de iniciativas da prefeitura que já estão em andamento, como a construção de quatro linhas de ônibus rápidos (BRTs) que vão integrar o município, a linha de veículo leve sobre trilhos (VLT) que vai ligar o aeroporto Santos Dumont ao centro da cidade, a revitalização do porto do Rio, a ampliação da rede hoteleira e o ensino de inglês na rede de ensino municipal. No que diz respeito à mobilidade urbana, o prefeito disse que, após a entrega dos novos corredores de ônibus, a cidade sairá de 18% para 60% das pessoas transportadas por sistema de alta capacidade.

 

Ele lembrou que, à época da candidatura olímpica, o compromisso do Rio era construir duas linhas de BRTs. Ao citar a renovação do porto, Paes comentou que o projeto começou no final de 2008 e ganhou impulso após a vitória na disputa pela sede dos Jogos. “A inspiração olímpica nos levou além do que estava previsto para a melhoria da cidade e nos propiciou antecipar ou acelerar projetos que normalmente levariam 15 ou 20 anos para ser feitos”.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.