sexta-feira, 24 de Julho de 2015 10:46h Atualizado em 24 de Julho de 2015 às 10:51h.

Brasil segue na briga por medalhas no Pan de Toronto

Os brasileiros Thiago Monteiro, Gustavo Tsuboi e Hugo Calderano estão firmes no caminho das medalhas do individual do tênis de mesa nos Jogos Pan-Americanos Toronto 2015

Nesta quinta-feira, os três venceram seus adversários e se mantiveram invictos na competição.
Pelo Grupo A, Tsuboi não teve dificuldade para vencer o americano Kanak Jha por 4 a 0. No Grupo B, Monteiro superou o argentino Rodrigo Gilabert por 4 a 2, e pelo Grupo C, Calderano derrotou o chileno Felipe Olivares por 4 a 0. Os três brasileiros lideram seus grupos com duas vitórias cada um.
A delegação brasileira de atletismo segue firme na luta para atingir sua meta inicial de superar o desempenho obtido no Rio 2007 e em Guadalajara 2011, e conquistar pelo menos 24 medalhas na modalidade durante os Jogos Pan-Americanos Toronto 2015. Na sessão diurna dessa quinta-feira, dia 23, o país viu mais três fundistas se classificarem com tranquilidade para as semifinais de suas provas, além de ver mantida a esperança da conquista de ao menos uma medalha no decatlhon masculino.
O destaque da sessão foi Bruno Lins. Finalista olímpico do revezamento 4x100 m rasos e dos 200 m rasos, o atleta recuperou-se de uma leve febre causada pela baixa imunidade com a qual chegou ao Canadá há uma semana, e se dando ao luxo de segurar a corrida e se poupar nos metros finais da prova, foi o segundo colocado em sua bateria, e passou para a semifinal com a marca de 20.41 s, o 8º melhor tempo das eliminatórias e seu melhor desempenho na atual temporada. “Senti um pouco de ansiedade, o que é normal antes do primeiro tiro. Queria correr forte mesmo, até o final. Agora tenho tempo para me recuperar para a semifinal. Quero buscar essa medalha”, disse Bruno, que garantiu estar se sentindo bem fisicamente para a sequência do Pan-Americano. O outro brasileiro nos 200 m rasos é Aldemir da Silva Junior, que também se classificou para as semifinais. Seu tempo foi de 20.54 s, o 12º melhor das provas qualificatórias.
Já os 200 m rasos feminino deram o ar de sua graça nos Jogos trazendo uma boa e uma má notícia para a torcida brasileira. Maior esperança de medalhas para o país na prova, Ana Claudia Silva estava muito próxima de garantir vaga nas semifinais ao cruzar a linha de chegada muito provavelmente na terceira posição de sua bateria. Porém, a poucos metros da linha de chegada, ela sentiu o músculo posterior da coxa direita e foi obrigada a abandonar a prova. “É um sentimento muito ruim, porque sei o quanto eu estava preparada para competir e brigar por uma medalha nessa prova. Mas faz parte da carreira de qualquer atleta, e preciso saber lidar com isso”, disse Ana Claudia. A atleta foi levada direto do estádio para o hospital mais próximo realizar um exame de imagem, que irá confirmar se ela poderá ou não participar do revezamento 4x100 m amanhã à noite.
A boa notícia da prova ficou por conta do bom desempenho de Vitória Cristina, que mesmo não demonstrando sua melhor forma, passou para as semifinais com a marca de 23.36 s, o 14º melhor tempo da fase eliminatória. “Ainda não mostrei todo o treinamento que fiz para essa prova. Estava ventando muito, o que me atrapalhou bastante. Mas tenho condições de melhorar o meu tempo na semifinal”, revelou Vitória.

Decatlhon
No decatlhon, após o término de oito provas, o Brasil segue muito bem, e com grandes chances de subir ao pódio. Felipe mantém a segunda colocação no geral, com 6.832 pontos. Logo atrás, na terceira colocação, vem Luiz Alberto de Araújo, com 6.814 pontos. O líder continua sendo o canadense Damian Warner, que aumentou sua vantagem e soma agora 7.118 pontos.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.