quarta-feira, 13 de Fevereiro de 2013 09:28h Ascom – Ministério do Esporte

Brasil vai ajudar futebol cubano e conta com país caribenho na preparação dos Jogos Olímpicos Rio 2016

No primeiro dia da visita oficial a Cuba, nesta segunda-feira (11.02), o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, criou um grupo de trabalho que vai elaborar acordos de cooperação entre os dois países. O país de Fidel e Raul Castro deve enviar técnicos e jogadores de futebol ao Brasil e, em contrapartida, vai ajudar a preparar atletas e treinadores brasileiros para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

Durante o dia, o ministro brasileiro acertou com o governo cubano uma parceria que vai ser vantajosa para os dois lados. Afinal, Cuba ficou à frente do Brasil no quadro de medalhas dos Jogos de Londres 2012 - 16º lugar, enquanto a delegação brasileira ficou com a 22ª colocação - e tem excelência em esportes como boxe, atletismo, taekwondo, tiro e halterofilismo. Já o Brasil pode apoiar os cubanos em modalidades como basquete e vôlei de praia, além do próprio futebol. A ideia é ir além da preparação para os Jogos Olímpicos e trocar experiências positivas dos dois países nas áreas de educação física e esporte escolar, além da formação de técnicos.

Pela manhã, Aldo Rebelo assinou o ato de criação do Grupo de Trabalho bilateral com seu equivalente cubano, o presidente do Instituto Nacional de Esportes, Educação Física e Recreação (Inder), Julio Christian Jimenez Molina. Depois, participou da primeira reunião do grupo, que já começou a discutir os termos dos acordos de cooperação que devem ser anunciados nesta terça-feira (12.02) em Havana.

No início da tarde, o ministro do Esporte do Brasil falou para uma plateia de cerca de 200 estudantes e professores da Universidade Manuel Fajardo (foto), especializada em cultura física e esporte. Aldo defendeu a parceria entre os dois países, fez uma análise sobre a evolução do futebol brasileiro e disse que pode apoiar Cuba nas modalidades que o país quiser, mas considera o futebol uma atividade essencial, que ajudou a moldar a identidade nacional do Brasil e pode fazer o mesmo pelos cubanos.

Aldo Rebelo elogiou os atletas olímpicos de Cuba e disse que o Brasil pode aprender muito com o país caribenho, principalmente no esporte de alto rendimento e no esporte escolar e universitário.

Nesta terça-feira, o ministro do Esporte e o embaixador do Brasil em Cuba, José Felício, têm uma reunião com o vice-presidente cubano, Miguel Diaz-Canel Bermudez. Em seguida, haverá um encontro com alguns dos atletas olímpicos de Cuba.

Comitiva
O restante da comitiva brasileira teve uma agenda paralela de visitas a projetos cubanos, como o “Por La Vida”, que desenvolve atividades físicas comunitárias no Parque Acapulco, em Havana.

O secretário Nacional de Esporte de Alto Rendimento do Ministério do Esporte, Ricardo Leyser, o presidente da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), Marco Aurélio Klein, o chefe de Relações Internacionais do Ministério do Esporte, embaixador Carlos Cardim, a chefe de Gabinete da Secretaria Executiva do ministério, Maria Luiz Rangel, e o professor José Roberto Gnecco, da Secretaria Nacional de Esporte de Alto Rendimento, estiveram ainda na Escola Nacional de Ginástica e na Escola Nacional de Voleibol de Cuba.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.