segunda-feira, 31 de Agosto de 2015 10:29h

Brasileirão com ressaca de Copa do Brasil

No dia seguinte à eliminação do Cruzeiro na Copa do Brasil, o presidente Gilvan de Pinho Tavares reuniu todo o grupo de jogadores e a comissão técnica

O mandatário tomou a palavra e falou durante aproximadamente dez minutos.

De acordo com os jogadores escolhidos para dar entrevista coletiva, Gilvan transmitiu apoio ao grupo e à comissão técnica. Também estiveram presentes na reunião: o diretor de futebol, Isaías Tinoco, e o supervisor Benecy Queiroz. Ao fim do encontro, todos bateram palmas. “Hoje, o presidente esteve aí para dar apoio para gente, falar que confia no grupo, e que temos que resolver em campo. O treinador escala, mas quem está em campo tem condição de mudar a história do jogo. A gente tem de levantar a cabeça, continuar trabalhando, porque as vitórias dependem da gente”, disse o atacante Vinícius Araújo.

O capitão celeste confirmou. “A gente escutou o que vivenciamos em outras ocasiões aqui ou em outro lugar. O presidente passou confiança. Sabemos que depende de nós dentro de campo fazer com que a situação comece a mudar. A gente vem tentando, mas as coisas não estão acontecendo. Agora temos mais uma oportunidade domingo contra o Santos”, completou o goleiro Fábio. Ele negou que haja brigas dentro do grupo e revelou que havia alertado antes do início do Brasileiro para a dedicação que o time deveria ter nas partidas por causa da dificuldade do campeonato. “Não é desde a chegada do Vanderlei, mas venho avisando há muito tempo que o Brasileiro não é campeonato que vai entrar e concretizar todas as vitórias em casa e, fora, vai conseguir jogos bons. Já vivenciamos tantos brasileiros. Alertamos, eu alertei. Agora é se unir para sair desta situação incômoda”, observou.

Definitivamente, este mês não foi bom para o Atlético. Ao conquistar apenas uma vitória em seis jogos, o time perdeu a liderança do Campeonato Brasileiro para o Corinthians e foi eliminado precocemente nas oitavas de final da Copa do Brasil para o Figueirense. Até o momento, foram seis jogos em agosto, com três derrotas, dois empates e apenas uma vitória. O desempenho de 27,7% é o pior do time alvinegro no período de um mês nesta temporada.

Como comparação, em julho, o Atlético fez sete jogos, venceu seis e perdeu apenas uma vez. No mês anterior, foram cinco partidas, com três triunfos, um empate e uma derrota.

Para o goleiro Victor, o momento de oscilação terá que acabar neste domingo se a equipe quiser sonhar com o título nacional. “É um jogo chave para a gente. Se temos ambições de conquista no Brasileiro, é uma partida que temos que pensar em vitória, em pontuar, até mesmo para não possibilitar que o Corinthians se desgarre lá na frente”, afirmou.

Na vice-liderança, com 39 pontos, o Atlético está quatro atrás do Corinthians. Com a segunda melhor campanha como visitante no Brasileiro, o time também precisará recuperar o desempenho fora de casa, já que não vence longe de Belo Horizonte desde o dia 11 de julho, quando bateu a Ponte Preta, em Campinas. Desde então, foram três jogos, com duas derrotas e um empate.

O time não lamentou a eliminação na Copa do Brasil, já que terá mais à frente semanas livres para descansar e corrigir os erros. “Agora é pensar no Brasileiro, onde temos possibilidade de brigar pelo título. Vamos nessas rodadas tentar encostar no Corinthians e tentar ultrapassar”, declarou o lateral-direito Marcos Rocha.

Na 15ª posição, a um ponto da zona de rebaixamento, o time celeste recebe o Peixe, neste domingo, às 18h30, no Mineirão, pela 21ª rodada do Brasileirão. o Galo foca somente na competição por pontos corridos e quer encerrar agosto de uma forma diferente diante do Fluminense, neste domingo (30), no Maracanã, pela 21ª rodada.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.