segunda-feira, 13 de Agosto de 2012 13:38h Gazeta do Oeste

Brasileiras evitam resposta aos EUA por comemoração do ouro

 A comemoração brasileira pela conquista do bicampeonato olímpico no vôlei feminino causou desconforto aos Estados Unidos, adversário da final de sábado em Londres. A ponteira Logan Tom concedeu entrevistas de reprovação à atitude das comandadas pelo técnico José Roberto Guimarães pela festa promovida após o triunfo por 3 sets a 1.

Na decisão, o Brasil era encarado como azarão diante do rival, que vinha com 100% de aproveitamento e apenas dois sets perdidos. Além disso, a medalha de ouro brasileira teve como grande marca a superação, por isso as atletas gritaram, cantaram e deram até cambalhotas.

"Nós comemoramos porque estávamos felizes. Elas têm direito de achar qualquer coisa. Deve ter sido porque estavam magoadas pela derrota", explicou a central.

De qualquer forma, Thaísa aponta que o Brasil respeitou o desempenho das adversárias. Portanto, a atleta encarou com surpresa a reclamação de Logan Tom. "Nem acreditamos quando surgiu esse assunto porque nós batemos palmas tanto para os Estados Unidos como para o Japão", completou.

Na volta para casa, a ordem entre as brasileiras era manter os sorrisos e a alegria pelo resultado histórico em Londres. A central Fabiana, a libero Fabi e a oposto Sheilla posaram, sem pressa, para os fotógrafos com o objeto mais desejado na Olimpíada: a medalha de ouro.

A curiosidade dos Jogos Olímpicos é que o Brasil só conseguiu ingressar na fase de mata-mata justamente pela ajuda dos Estados Unidos, que venceram a Turquia na última rodada da etapa de grupos. Ainda assim, Sheilla intercedeu no momento em que foi questionada sobre a contribuição das norte-americanas no título.

"Nós classificamos com a ajuda delas, mas chegamos à final com nossos méritos, pelo amor de Deus", avisou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.