terça-feira, 4 de Outubro de 2011 10:45h Dácio Fernandes

Brasileiras vencem a Argentina e faturam o Sul-Americano pela 17ª vez

A classificação para a Copa do Mundo do Japão já estava garantida, porém era uma decisão e era com a Argentina. Então o Brasil fez questão  de ser a atual campeã olímpica e com grandes atuações de Jaqueline e Sheilla, deu um baile na Argentina, venceu por 3 sets a 0 (25/10, 25/7 e 25/17) e conquistou o troféu pela 17ª vez, a décima seguida. Uma campanha invicta, sem perder um set sequer.


O próximo desafio da equipe brasileira será daqui a duas semanas, em Guadalajara, a seleção buscará o ouro nos Jogos Pan-Americanos, título que escapou em 2007, no Rio de Janeiro, diante de Cuba. No México, a seleção voltará a ter Paula Pequeno e Natália.


No Sul-Americano, o Brasil é soberano. Em 29 edições, além dos 17 títulos, conquistou a prata 11 vezes. Em 1964 o time não competiu.


Na edição peruana, em Lima, a meta era se classificar à Copa do Mundo, campeonato que carimbará o passaporte de três seleções às Olimpíadas de Londres-2012. E a vaga para competir no Japão em novembro veio com a vitória sobre a Colômbia, único time que conseguiu marcar 20 pontos em um set contra o Brasil.


A premiação de melhores jogadoras não deixou dúvidas quanto à melhor seleção, foram quatro prêmios individuais, incluindo o de MVP para Sheilla. Mari ficou com o prêmio de melhor atacante da competição, enquanto Fabi foi considerada a melhor líbero. A central Fabiana completa a lista brasileira com o torféu de melhor bloqueadora.

 

 

Confira a lista das melhores jogadoras:


Maior pontuadora: Madelayne Montaño (COL)
Melhor atacante: Mariane Steinbrecher (BRA)
Melhor bloqueio: Fabiana Claudino (BRA)
Melhor saque: Lorena Zuleta (COL)
Melhor levantadora: Elena Keldibekova (PER)
Melhor recepção: Vanessa Palacios (PER)
Melhor líbero: Fabiana Oliveira (BRA)
Melhor defesa: Lucia Gaido (ARG)
MVP: Sheilla Castro (BRA)
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.