terça-feira, 28 de Abril de 2015 11:12h

Caldense a um empate de ser campeã mineira 2015

O técnico Levir Culpi não gostou do futebol apresentado pelo Atlético no empate sem gols com a Caldense, neste domingo, no Mineirão, em partida de ida da finalíssima do Campeonato Mineiro 2015

Na avaliação do treinador alvinegro, o time não conseguiu vencer o forte esquema defensivo da Veterana. “Eles fizeram duas linhas ótimas e jogaram bem. É o melhor time do Campeonato Mineiro e tem uma postura tática muito boa”, elogiou o treinador.

Com a igualdade, o Atlético terá que vencer o jogo decisivo, no próximo domingo, em Varginha, para ficar com o título. “Não podemos lamentar. Com uma semana de treinamento e vendo o que aconteceu hoje, vamos buscar esta vitória fora de casa”, disse. “Vamos analisar o vídeo. Na próxima semana teremos mais alternativas”, prevê.

Apesar de reconhecer que o Atlético não rendeu o esperado, especialmente no setor ofensivo, Levir destacou a atuação da Caldense. “Esperávamos um jogo melhor, pelo poderio que temos. Mas temos que ter a humildade de valorizar um adversário que jogou bem”, ressaltou.

Pelo lado da Caldense, o técnico Leonardo Condé foi cauteloso ao analisar o resultado e a consequente manutenção da vantagem. No entanto, ele disse que o sonho do título está real. “Pelo empate de hoje, temos sim a possibilidade de sonhar e brigar pelo título. Mas tenho certeza que o Atlético vai forte para lá. Temos que trabalhar bem, jogar muito. Alertei aos meus atletas no vestiário que o Atlético, pela força e tradição que possui, tem totais condições de inverter o resultado”, disse.

Um dos mais experientes jogadores da Caldense, o armador Ewerton Maradona prega a cautela para o jogo de volta. “Não tem nada ganho. Vamos ter os pés no chão porque tem muita bola ainda”, afirma o atleta. A segunda partida será disputada no próximo domingo, no estádio do Melão. Para o time alviverde, basta um empate para levantar pela segunda vez o troféu do Estadual.
Maradona considera que foi complicado encarar o Galo no Gigante da Pampulha, que recebeu quase 54 mil pagantes. Ele destaca que a Caldense não ficou na retranca. “A gente sabia que ia ser difícil. Claro que, se a gente jogasse só para marcar, a possibilidade de tomarmos o gol seria grande. Jogamos e não deixamos a equipe deles jogar”, analisa.
O armador Guilherme está confiante de que poderá atuar no jogo de volta da final do Campeonato Mineiro, contra a Caldense, em Varginha, no domingo. Mas o médico do Atlético, Rodrigo Lasmar, ressalta que é necessário ter precaução quanto a isso. “Um jogador que não consegue terminar o jogo e no intervalo tem que ser substituído, é claro que é motivo de preocupação para o departamento médico”, afirma Lasmar.
O médico explica que o meia sentiu dor no músculo adutor da coxa esquerda. “Vamos avaliar como ele vai se sentir amanhã [segunda-feira]. Temos uma semana para tratar e aguardar a recuperação.”
No intervalo do jogo contra a Caldense, Guilherme deu lugar a Thiago Ribeiro. Após o duelo, em entrevista à Rádio Itatiaia, o meio-campista demonstrou otimismo quanto à participação na partida de volta. “Imagino que dê. Vamos trabalhar direitinho e ver essas condições para poder jogar”, disse o atleta. “É positivo o Guilherme estar otimista. Demonstra o interesse do jogador, mas o médico tem que estar sempre mais cauteloso. Ao longo dessa semana ele vai ser observado e, se julgarmos necessário, podemos precisar de alguma avaliação complementar. Vamos esperar um pouco mais. As próximas 24h, 48h são muito importantes”, ressalta o médico.
Enquanto o grupo atleticano aproveita a folga na segunda e terça-feira, Guilherme vai para a Cidade do Galo continuar o tratamento iniciado já durante o jogo. “Ele vai para o CT em período integral para se recuperar o quanto antes”, concluiu Lasmar, destacando que essa possível nova lesão nada tem a ver com a última sofrida pelo meia.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.