terça-feira, 18 de Fevereiro de 2014 06:49h

Capacitando pessoas, alimentando sonhos

Na mais recente visita do secretário-geral da FIFA, Jérôme Valcke, a Brasília, a primeira vista do Estádio Nacional Mané Garrincha foi na estampa de centenas de camisetas.

Antes de visitar a arena de Brasília, nesta segunda-feira (17/2), a delegação da FIFA, do Comitê Organizador Local (COL) e do Ministério do Esporte esteve na Fábrica Social, projeto da Secretaria Extraordinária do Distrito Federal para a Copa do Mundo da FIFA. Mais que complementar a renda de cerca de 1,2 mil pessoas, o projeto tem como principal objetivo a qualificação profissional.

“Meu sonho é aumentar minha produtividade para juntar dinheiro e comprar um equipamento profissional, igualzinho ao que tem aqui. Quero ser dona do meu próprio negócio”, sonha Silvana Campos, 44 anos, que somou R$ 800 pelo que produziu no mês passado e hoje comemora a independência financeira em relação ao marido.

Inaugurado em julho do ano passado, o programa reserva 15% das vagas para idosos, pessoas com deficiência e menores em conflito com a lei. A grande maioria – 89% – são mulheres, que escolhem entre cursos de bordado; serigrafia; corte e costura de laminados; confecção de bolas e redes esportivas; confecção de mochilas, bolsas e pastas; corte, costura e confecção de camisetas e uniformes; e operação e manutenção de máquinas e equipamentos.

“Falamos muito do legado físico – estádios, obras de mobilidade urbana, aeroportos. Ontem, em Manaus, tivemos contato com taxistas que estão aprendendo idiomas. Hoje, vimos que 1,2 mil pessoas estão sendo capacitadas e vivendo melhor. A qualificação profissional é um legado incrível da Copa do Mundo, talvez o mais valioso”, disse Valcke.

Os alunos são beneficiários do Programa DF Sem Miséria/Bolsa Família e recebem, como complemento da renda, auxílio alimentação e transporte. De acordo com a assiduidade e produtividade, a renda mensal dos alunos pode chegar a R$ 2 mil. Segundo o Governo do Distrito Federal, R$ 4 milhões foram investidos no equipamento da fábrica.

“Elaboramos esse projeto para que a Secretaria Extraordinária da Copa executasse, aproveitando esse momento tão importante para o país, reforçando nosso compromisso com a cidadania, nosso compromisso em aliar esse grande evento esportivo que receberemos com políticas públicas que melhorem a qualidade de vida da população. Além disso, o programa prevê acesso a microcrédito, possibilitando maior independência ao aluno, que poderá produzir em seu lar”, ressaltou o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.