quinta-feira, 29 de Setembro de 2011 13:49h Luciano Eurides

Carmo do Cajuru fica sem estádio. Tupy e Sport se retiram dos campeonatos

Os estádios cajuruenses José Marra da Silva e Batista Leite, do Tupy e Sport, respectivamente foram interditados pelo Corpo de Bombeiros Militares. Com essa determinação as diretorias dos clubes decidiram pela retirada das equipes de todos os campeonatos em disputa. Um prejuízo financeiro e social para a cidade de Carmo do Cajuru e Divinópolis, pois os dois times recebem dezenas de atletas das cidades de toda a região. Para o comandante da companhia de prevenção dos bombeiros militares, Tenente Heitor Mendonça, não há a necessidade de parar os trabalhos das categorias de base, mas não podem mandar jogos nos respectivos campos.


O primeiro a encontrar problemas foi o Batista Leite. O Campo do Sport não pode receber a primeira partida da categoria junior e nenhuma do amador. A diretoria retirou a categoria adulta da competição. Logo depois foi a vez do José Marra da Silva. No rastro do rival, a diretoria retirou o time da disputa das categorias pré-mirim, mirim e infantil da Copa Eletrodil. Como não há local em Carmo do Cajuru para o alvinegro mandar os jogos, teria assim de ir para São José dos Salgados ou Divinópolis, os custos seriam maiores, a decisão acabou fechando a formação de atletas, onde cerca de 100 crianças são atendidas.


De acordo com Tenente Heitor Mendonça, comandante da companhia de prevenção dos Bombeiros Militares diversas irregularidades foram constatadas e por isso houve a interdição dos estádios. “Foi realizada uma denúncia anônima via 181 e ela foi protocolada nos Bombeiros, onde uma guarnição foi verificar a situação de segurança nos dois estádios, foi constatados que ambos os estádios não possuem projeto de segurança aprovados no Corpo de Bombeiros e nem liberação para público. Não tem auto de vistoria dos bombeiros, a legislação prevê a interdição imediata em caso de risco e não existência desse auto. Nos dois estádios foram confirmadas situações que interferem  na segurança dos torcedores. Foi verificada a presença de barras de ferro, entulhos e pedras e a falta de guarda corpos e corrimão nas arquibancadas e nem saída de emergência ou extintores. Não há iluminação de emergência, saída de segurança ou seja nenhuma medida de prevenção. Os campos foram interditados”, disse.
Para o militar,mesmo interditado o campo pode ser utilizado para treinamentos e atividades físicas, tais como escolinha de futebol. “O que está interditado é a presença de público, de torcedores e a utilização das arquibancadas e outras dependências do estádio, o campo poderá ser utilizado sem a presença dos torcedores e essa orientação foi feita aos presidentes dos clubes”, falou.


Para regularizar a situação deverá ser feito e aprovado um projeto de segurança junto ao corpo de bombeiros e contanto todas as medidas de segurança. “A primeira fase é colocar tudo no papel, um serviço documental, um serviço de engenharia com plantas e posteriormente executado com o acompanhamento de um responsável técnico registrado junto ao CREA. E após a execução será solicitado a vistoria pelo Corpo de Bombeiros”, contou e deixou claro que sem isso não há liberação do estádio. “Se não constatado essas medidas e equipamentos de segurança a interdição continua. É a única forma que os bombeiros trabalham”, confirmou.


Mesmo o campo recebendo um público pequeno, não há jogos em categorias de base com publico sequer médio. O clube não pode mandar os jogos. “O campo para treinos, não poderá ter publico, continua interditado”, reafirmou.


A cidade de Carmo do Cajuru conta em funcionamento com o Campo do São Lazaro, este é aberto, não possui arquibancada e assim não corre o risco de ser interditado. 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.